Polícia comete erro grave ao investigar estupro e morte de cristã de 12 anos, no Paquistão

Anteriormente, a polícia paquistanesa afirmou que Tania Mariyam havia cometido suicídio. Porém agora reconhece que falhou nas investigações e afirma que ela pode ter sido assassinada.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 28 Março de 2017 as 9:36

Tania Maryiam. (Foto: Premier Christian Media)
Tania Maryiam. (Foto: Premier Christian Media)

Um grupo está convocando cristãos no Paquistão a se unirem em protesto contra a aparente inércia e apatia da polícia e dos tribunais sobre o brutal assassinato de Tania Mariyam, uma estudante cristã de 12 anos, cujo corpo foi encontrado no mês de janeiro, em um canal com uma espuma estranha em sua boca e as calças rasgadas.

A polícia admitiu que Mariyam não cometeu suicídio, pulando no Canal Chenab, em 23 de janeiro, como eles alegaram anteriormente. Agora, as autoridades reconhecem que a garota foi drogada e violentada, antes de ser assassinada. Mas pouco foi feito para investigar o caso até agora, de acordo com a Associação Cristã Paquistanesa Britânica.

"A polícia e os tribunais do Paquistão falharam com minha linda filha, e seu atraso pode ter destruído qualquer chance de provar que ela foi envenenada", disse o pai de Mariyam, Nadeem Gill, em um comunicado. "Apesar de várias tentativas de obter o último vídeo de Mariyam ainda viva, eu ainda não vi isso. A filmagem mostra Tania entrando em um veículo com um estranho, mas não conseguimos identificar o suspeito nas imagens".

Em fevereiro, o juiz Shagufta Sabir convocou a polícia e acusou os policiais de não reconhecerem "provas claras" que vão contra a alegação de que Mariyam cometeu suicídio. Os oficiais foram ordenados a iniciar uma investigação de assassinato.

A Associação Cristã Britânico-Paquistanesa (BPCA) lançou uma petição on-line, pedindo "uma revisão judicial sobre a alegada negligência policial intencional e exige as imagens feitas na escola de Tania Mariyam, que nunca foram liberadas para sua família".

"Embora uma autópsia tenha sido finalmente aprovada por ordem legal no dia 16 de março, a família de Tania tem pouca esperança de que o que resta de seu corpo revelará quais toxinas causaram a espuma em torno de sua boca", disse o grupo. "Acredita-se que a espuma irregular da boca é um sinal de que ela foi drogada e estuprada".

Anteriormente, o presidente da BPCA, Wilson Chowdhry, disse ao 'Christian Post' que a pressão dos cristãos e das mídias internacionais ajudou a destacar o caso no Paquistão.

"Em um raro caso de apoio de mídia internacional para um caso de perseguição cristã do Paquistão, vimos mais de 250.000 acessos em nosso site, com pessoas chocadas diante da brutalidade do Paquistão para com as minorias", disse Chowdhry. "Este apoio, incluindo 24.000 ações de cristãos interessados, levou à abertura de um caso de assassinato. Estou certo de que uma reviravolta como essa não seria possível sem a pressão internacional".

Ele alertou, entretanto, que os atrasos na investigação do assassinato poderiam significar que algumas evidências cruciais foram perdidas quando se trata dos exame no corpo de Tania.

 

veja também