Portas Abertas leva esperança e amor aos sobreviventes de bombardeio na Nigéria

"Eu sou muito agradecido. Que o bom Senhor abençoe vocês", disse um muçulmano hospitalizado e atendido pela equipe

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 29 Julho de 2014 as 11:45

Nigéria _ vítima bomba"Nós tínhamos de mostrar a eles que há vida após as bombas. A esperança deles se encontra em Jesus Cristo."

Essa é a fala de um dos colaboradores da Portas Abertas que visitou as vítimas sobreviventes de bombardeios na cidade de Jos, na Nigéria.

Duas bombas explodiram dia 20 de maio e a Portas Abertas doi visitar esses sobreviventes algumas vezes para levar o conforto de Deus e o suporte financeiro que elas precisam.

A primeira bomba foi tão forte que imediatamente matou dezenas de pessoas. Causou um massacre absoluto. Equipes de emergência apressaram-se até o local. A maior parte das vítimas era mulheres e crianças que estavam fazendo compras no mercado.

Meia hora após a primeira bomba, a segunda – novamente um explosivo improvisado, acoplado em um carro – foi acionada, matando muitas pessoas da equipe de resgate assim como outros que estavam ajudando as vítimas da primeira explosão.

Sangue por toda parte, janelas estilhaçadas e edifícios destruídos era o que se via após as explosões Caminhões disparavam em todo tempo levando vítimas sobreviventes até os hospitais.

Colaboradores da Portas Abertas chegaram no dia seguinte. "Nosso objetivo era levantar o número de feridos e ver se podíamos ajudar de maneira prática. que era ainda mais importante era que queríamos dar a eles uma mensagem de amor e de esperança. Nós dissemos: ‘Viemos para assegurar a vocês que Deus os ama. Nosso ministério ama vocês e nós estamos orando pela sua situação. Apesar de sua situação ser difícil, Deus é poderoso e hábil para curar e dar a vocês esperança e força para viver novamente para ele.’"

Como resultado do bombardeio, 77 pessoas, a maioria delas cristã, foram hospitalizadas. É um costume nigeriano que os familiares sejam os responsáveis por alimentar seus entes hospitalizados. Mas alguns que encontramos não tiveram a chance de notificar familiares e encontravam-se dependentes de doações financeiras e de alimentos dos funcionários dos hospitais.

Dias depois, com o apoio de parceiros, a equipe da Portas Abertas conseguiu voltar lá e prestou ajuda aos que continuavam hospitalizados.

"Para aqueles que permaneceram no hospital, independentemente se eram cristãos ou muçulmanos, tentamos mostrar a eles o amor de Cristo. Especialmente os muçulmanos foram tocados pelo fato de oferecermos ajuda financeira a eles. Um muçulmano chamado Ali Umary disse: ‘Eu sou muito agradecido. Que o bom Senhor abençoe vocês’", disse um representante.

"A ajuda veio quando eu mais precisava. Ainda mais importante: o amor que veio junto com os presentes foi o que impressionou mais", relatou uma cristã auxiliada pela equipe.

O caminho para a completa restauração é longo para todos os sobreviventes e para todos aqueles que perderam seus queridos. A violência implacável do grupo radical islâmico Boko Haram continua por diversos estados da Nigéria. Ore por essa nação!


com informações da Portas Abertas

 

veja também