Portas Abertas visita família do pastor assassinado em Mombasa/Quênia

Portas Abertas visita família do pastor assassinado em Mombasa/Quênia

Atualizado: Sexta-feira, 28 Fevereiro de 2014 as 8

Missões - vivúva - MombasaCerca de um mês após a morte de Ibrahim Kithaka, pastor sênior e supervisor distrital da Igreja Pentecostal da África Oriental, a Portas Abertas foi até a casa de Sarah Kithaka, viúva do pastor. Ela e os filhos Betty (34), Samuel (30), Paul (24), Mary (22), Rose (19), Emmanuel (16) e Isaac (14) receberam a equipe missionária.
 
Ibrahim foi assassinado no final de outubro. No dia, ele foi fazer algumas negociações em sua fazenda e passaria no mercado antes de ir pra casa.
 
Quando falou com uma de suas filhas ao telefone, disse que havia encontrado no mercado algumas pessoas que precisavam de carona, e iria ajudá-las antes de voltar.
 
“Aquela foi a última vez que alguém ouviu algo dele”, Samson, irmão mais novo do pastor, que estava apoiando a família, explicou.
 
Quando as filhas ligaram novamente, o pastor não atendeu, mas não estranharam muito a demora já que era comum que ele fosse parado por alguém no caminho para conversar.
 
Horas depois, nada do pastor retornar e nem atender ao telefone. A família começou a perguntar aos vizinhos, aos membros da igreja e ninguém o tinha visto.
 
Encontraram o corpo do pastor cerca de 300 metros dali, em um matagal. É difícil imaginar quão chocante deve ter sido esta cena para eles. Sarah não hesita em compartilhar os detalhes. “Ele estava deitado de costas. Foi esfaqueado no rosto, e a parte de trás de seu crânio foi esmagada”. 
 
Nada dele foi roubado e ninguém entende o motivo do assassinato. A polícia queniana afirmou que mantém Samantha Lethwaine, também conhecida como “Viúva Branca”, como principal suspeita. Ela é procurada por sete assassinatos no Quênia e tem ligação com o ataque ao Westgate Mall, em setembro, que deixou mais de 70 mortos. Não se sabe por que ela teria o pastor Ibrahim como alvo. 
 
“É muito difícil! Ibrahim viveu para servir a Deus e ao povo de Deus. Essa era sua paixão… Meu marido era tão amado aqui… ele também amava as pessoas. Ensinava os pobres e apoiava muitos outros até sua morte. Estava ajudando a pagar as taxas escolares para oito estudantes carentes... Fez isso porque queria que eles fossem bem-sucedidos na vida. Não queria que alguém não tivesse oportunidade por causa da pobreza. Ninguém entende quem poderia matá-lo e por quê. Não faz sentido!” 
 
Douglas Karisa, presbítero da igreja, reafirmou o amor do pastor pela obra de Deus. “Ibrahim amava estar envolvido no desenvolvimento socioeconômico! Ele queria que todos prosperassem. E amava ensinar a Palavra de Deus. Ele foi fundamental no fortalecimento da igreja nesta área e seu ensino nos fez fortes no Senhor. Quando olhamos para o investimento de Ibrahim em tempo, esforço, recursos e orientação para tornar-se o líder forte que ele era, como podemos calcular nossa perda?", indagou.
 
Ao final da visita, Sarah agradeceu a Portas Abertas com lágrimas nos olhos, “O amor não é demonstrado somente por palavras. O verdadeiro amor é notado pelas ações. Vocês nos mostraram o verdadeiro significado de amar uns aos outros no Corpo de Cristo. Sua vinda mostrou-nos de todas as formas o verdadeiro amor. Muito obrigada. Não tenho palavras para expressar o que se passa em meu coração; posso somente louvar ao Senhor que os enviou para nos visitar, pois vocês acalmaram e abençoaram nossos corações. Obrigada!”.
 
Pedidos de oração
• Ore pelo conforto e sustento de Deus tanto para Sarah quanto à sua família e congregação por causa do sofrimento resultante da morte do pastor Ibrahim.
• Louve a Deus pelo apoio e amor demonstrados à família pela congregação.
• Peça para que a justiça prevaleça. Líderes da igreja afirmaram que a polícia está trabalhando com empenho para encontrar o(s) assassino(s) do pastor Kithaka.
 
 
com informações da Portas Abertas
 

veja também