Problemas dos cristãos na Coreia do Norte não são tratados porque não aparecem nos relatórios do país

"É um país caracterizado pela negação dos direitos à liberdade de pensamento, consciência e religião, assim como direitos à liberdade de opinião, expressão, informação e associação", diz investigador

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 9 Outubro de 2015 as 1:23

Coreia do Norte
Coreia do Norte

Um debate sobre direitos humanos na Coreia do Norte foi realizado há alguns meses pela ONU. Recentemente, os problemas dos trabalhadores nos campos também foram levantados, bem como outros temas semelhantes.

Em todos eles, a conclusão é a mesma. "É um país caracterizado pela negação dos direitos à liberdade de pensamento, consciência e religião, assim como direitos à liberdade de opinião, expressão, informação e associação", afirma um investigador.

"É extremamente difícil descobrir o que realmente acontece nos campos de trabalho do país e tudo o que as pessoas passam por lá, por se tratar se uma nação totalmente fechada para o mundo", dizem os relatórios da Portas Abertas. "Os relatórios ajudam muito, mas é impossível não perceber que todo tipo de problema é abordado, menos a questão dos cristãos, porque eles nunca aparecem nestes relatórios".

Há 13 anos, a Coreia do Norte está no topo da lista dos países em que os cristãos enfrentam maior perseguição religiosa no mundo.

 

veja também