Quase 800 pessoas foram executadas em 22 países em 2013

Quase 800 pessoas foram executadas em 22 países em 2013

Atualizado: Sexta-feira, 28 Março de 2014 as 11:50

lutoDivulgado ontem, 27 de março, o Relatório Anual sob Pena de Morte revela um aumento significativo no número de executados em 2013. Quase todos os países citados faz parte da Classificação da Perseguição Religiosa, ranking que revela as nações que mais perseguem os cristãos.
 
O caminho para a abolição da pena de morte no mundo sofreu "alguns retrocessos difíceis" em 2013, conclui o mais recente relatório da Anistia Internacional, que contabiliza pelo menos 778 pessoas executadas em 22 países.
 
As milhares de pessoas executadas na China não entram no relatório, pois a pena de morte lá é considerada 'segredo e Estado'. Fora a China, aproximadamente 80% das execuções ocorreram no Irã, Iraque e Arábia Saudita.
 
Decapitação, eletrocussão, enforcamento, fuzilamento e injeção letal foram os métodos de execução usados em 22 países, número que cresceu desde o último relatório.
 
Quatro países voltaram a recorrer à pena de morte, após anos de intervalo: a Nigéria, o Kuwait, a Indonésia e o Vietnã e foram registradas execuções públicas em quatro: a Arábia Saudita, Coreia do Norte, o Irã e a Somália.
 
No ano passado, pelo menos 1.925 sentenças de pena capital foram proferidas em 57 países, com aumento em relação a 2012, e pelo menos 23.392 pessoas estavam em corredores da morte.
 
Desde que o relatório é feito, essa é a primeira vez que os corredores da morte em Granada, na Guatemala e em Santa Lucia estavam sem prisioneiros. Também não houve registro de execuções da Europa e Ásia Central.
 
Três dos países que executaram pessoas em 2012 não o fizeram em 2013 – Gâmbia, Paquistão e Emirados Árabes – e outros Estados perdoaram ou mudaram penas capitais.
 
Somália, Síria, Iraque, Afeganistão, Paquistão, Iêmen, Coreia do Norte, Arábia Saudita, Maldivas e Irã formam a lista dos 10 países em que ser cristãos é praticamente uma prova de resistência.
 
 
com informações da Portas Abertas
 

veja também