Quem é o meu próximo?

Quem é o meu próximo?

Atualizado: Sexta-feira, 14 Fevereiro de 2014 as 3:50

A pergunta que leva o título desta coluna e deste primeiro artigo foi feita há cerca de dois mil anos em uma das parábolas mais conhecidas de Jesus – a parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:25-36). Dois mil anos depois, a pergunta continua tão atual e importante como da primeira vez em que foi feita.
 
Não há dúvidas de que vivemos em um mundo dominado pela cultura do interesse próprio, do materialismo e da exaltação do eu. A competição para vencer, ser o melhor, ser o primeiro, ser o mais importante, leva o ser humano a buscar suas conquistas a qualquer preço. Muitas vezes agride o meio ambiente indiscriminadamente e não somente ignora os interesses do seu próximo, mas muitas vezes explora o próximo como um dos meios para alcançar os seus objetivos.
 
A pergunta quem é o meu próximo desvia o foco egoísta de meus interesses para os interesses dos outros, principalmente daqueles em posição desfavorável na sociedade.
 
Eu me recordo de um sermão que ouvi em minha adolescência com o seguinte título: “Troque seus Espelhos por Janelas”. Aí está o segredo, pois quando trocamos nossos espelhos por janelas, tiramos o foco de nós, dos nossos interesses e desejos e olhamos para os interesses e necessidades de nosso próximo.
 
A pergunta quem é o meu próximo levanta questões profundas que têm que ver como o ambiente físico do planeta, pois quando agredimos o planeta os efeitos desta agressão afetam a todos. Outras questões importantes levantadas por esta pergunta tem a ver com a solidariedade humana, a justiça social, a exploração sexual, trabalho escravo, a questão da fome e da miséria, entre outras.
 
Mais do que as implicações sociais, a pergunta quem é o meu próximo, tem implicações espirituais profundas. A questão da pobreza e da justiça social é tão importante para Deus que na Bíblia encontramos centenas de textos que tratam deste assunto. A maior prova da profunda implicação espiritual desta pergunta está no fato de que Jesus contou a parábola do Bom Samaritano em resposta a uma outra importante pergunta: o que devo fazer para herdar a vida eterna?
 
Portanto, nesta coluna trataremos dos grandes temas sociais da atualidade sob dois pontos de vista, o social e o espiritual.
 
Embora sejam temas globais e que necessitam de respostas coletivas, faremos o possível para trazê-los para o nível da responsabilidade individual. Responder a pergunta quem é o meu próximo vai muito além de simplesmente identificá-lo. Temos de identificar suas necessidades, seu potencial e suas limitações. E o mais importante, temos de agir, de fazer alguma coisa a respeito, de dar a nossa contribuição.
 
Antes de terminar este artigo, me vem à mente as palavras de Mahatma Gandhi: “Seja você, a mudança que você quer ver no mundo”.
Esta é a nossa proposta. Provocar você, levá-lo a refletir, e acima de tudo, a agir. Temos de ser parte da solução. Ou seja, como diz a parábola em seu final: “Vai e faze o mesmo.”(Lucas 10:37).
 
 
- Paulo Lopes
diretor da ADRA Brasil
 

veja também