"Queremos que o mundo muçulmano veja como o nosso Deus é forte", diz jovem recém-convertida

Mesmo diante da perseguição religiosa, jovem não deixa de compartilhar a palavra de Deus

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Quinta-feira, 15 Outubro de 2015 as 10:52

Bíblia
Bíblia

Recém-convertida ao cristianismo, uma jovem africana foi pressionada pela mãe a voltar para o islã e ficar com a família, ou seguir o cristianismo e nunca mais vê-los.

E ela compartilha: "Foi como se Deus mostrasse para mim o que ele mostrou para Abraão e eu tive que escolher entre o deserto e o oásis. Então eu disse decidida para minha mãe que preferia morrer ali, naquela hora, do que voltar para casa com ela".

Casada há pouco tempo, ela e o marido, também cristão, foram acolhidos pela família dele, que era muçulmana, com a condição de que não os evangelizassem. "Mas eu sentia necessidade de evangelizar alguém", exclama, relatando quando pediu para orar por uma senhora que sentou ao seu lado, que hoje também segue a Jesus e se tornou sua amiga.

A perseguição religiosa existe no país e os cristãos passam por pressão frequentemente. "Nas ruas não é tão fácil ser cristão, pois quando as autoridades nos apanham lendo uma bíblia, eles nos prendem imediatamente. Se houver suspeitas de que alguém tem livros cristãos em casa, os policiais chegam para quebrar tudo", conta a jovem.

O desejo de ter um grupo para se reunir e um líder para ministrar ainda não foi realizado, mas nem por isso e ela e os demais deixam de compartilhar a palavra de Deus. Nós nos reunimos em grupos bem pequenos, três no máximo, e assim não levantamos suspeitas. Compartilhamos o que Deus tem feito em nossas vidas, lemos algumas passagens da Bíblia e também pedimos perdão pelos nossos pecados. Nós queremos que o mundo muçulmano veja como o nosso Deus é forte e como opera milagres. Se Deus fez isso por mim, pode fazer por eles também", conclui.

 

 

veja também