Ser cristão nunca foi tão perigoso como agora, segundo Missão Portas Abertas

A Coreia do Norte continua no topo da lista como o pior lugar para se viver como um cristão, de acordo com a Portas Abertas. Estima-se que 70.000 estejam presos e mantidos em campos de trabalhos forçados no país. Além disso, a brutalidade continua no Oriente Médio, liderada pelo Estado Islâmico.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 13 Janeiro de 2016 as 9:59

Militantes do Estado Islâmico se posicionam atrás de 21 cristãos coptas, momentos antes de registrarem a execução destes, que barbarizou o mundo em fevereiro de 2014 (Imagem: Reprodução)
Militantes do Estado Islâmico se posicionam atrás de 21 cristãos coptas, momentos antes de registrarem a execução destes, que barbarizou o mundo em fevereiro de 2014 (Imagem: Reprodução)

"Nunca houve um momento pior para ser um cristão", segundo a Missão Portas Abertas que vai lançar seu relatório anual na tarde desta quarta-feira (13).

"A perseguição global contra os Cristãos é mais extrema do que nunca", disse a Missão em uma declaração antes de publicar o a sua lista com ranking dos países sobre a perseguição religiosa em todo mundo. A lista destaca os 50 países com o pior recorde de perseguição e será discutida no evento de lançamento na 'Casa dos Comuns' (Parlamento Britânico), ainda hoje.

Trabalhando em um sistema de pontos, a lista reflete o aumento dramático na perseguição registrada pela Missão. Enquanto o país com menor índice de perseguição religiosa em 2013 tinha 35 pontos, este ano, o último do ranking teve 53 pontos - um aumento de mais de 50 por cento.

Lisa Pearce, CEO da Portas Abertas, disse que a rápida ascensão foi um "motivo de grande preocupação" e instou o governo do Reino Unido a fazer mais para proteger os cristãos de todo o mundo.

"A perseguição aos cristãos está piorando em todas as regiões que trabalhamos", disse ela.

"A tendência é gritante, como são reais as consequências para pessoas - não devemos esperar que isso mude, a menos que nós sejamos parte da mudança desta situação".

"Como uma voz fundamental no seio da comunidade internacional e um fornecedor generoso da ajuda a um certo número de países na Lista de Perseguição Religiosa para 2016, exorto o nosso governo a fazer todo o possível dentro de suas esferas de influência para afetar o que acontece a seguir. Nós não vamos mais recuperar este tempo perdido".

A Coreia do Norte continua no topo da lista como o pior lugar para se viver como um cristão, de acordo com a Portas Abertas. Estima-se que 70.000 estejam presos e mantidos em campos de trabalhos forçados no país.

Em outros lugares, a brutalidade contínua do Estado Islâmico 'significa que o Iraque substituiu a Somália como o segundo lugar mais perigoso para se viver como um cristão. A Eritreia vem em terceiro e, de acordo com a Missão Portas Abertas, este é "apelidado" de a 'Coréia do Norte da África', devido aos altos níveis de paranoia ditatorial, que levam à implacável perseguição religiosa.

"A Síria e o Iraque são a ponta do iceberg", disse a Missão. Mais pessoas são mortas por sua fé na África subsaariana que em qualquer outro lugar do mundo.

"À medida que o fundamentalismo na forma de islamismo radical se espalha em toda a África, como no oeste da Somália, e do Quênia para cima, todos estes países são afetados", diz o comunicado. "Eritreia, Quênia e Etiópia têm todos os fortes aumentos observados nos níveis de perseguição religiosa".

A Lista de Perseguição Religiosa da Missão Portas Abertas usa uma variedade de indicadores para medir como a fé é oprimida em cinco áreas distintas - a vida privada, a vida familiar, a vida comunitária, vida nacional e a vida da igreja -, além do registro de violência, como estupros, assassinatos e incêndios em igrejas.

O Dr. Ronald Boyd-MacMillan, diretor de Pesquisa da Portas Abertas Internacional, disse que estas são formas de garantir que os níveis de perseguição em todo o mundo estão sendo medidos com a maior precisão possível.

"É possível que a perseguição seja tão intensa em todas as áreas da vida que os cristãos tenham o temor de testemunha-los por completo", explicou. "E então você pode encontrar níveis muito baixos de violência como resultado, uma vez que incidentes de perseguição não são relatados".

veja também