Sudanesa Meriam Ibrahim incetiva esposa de Saeed Abedini a não desistir: "Seja forte"

Meriam Ibrahim e Naghmeh Abedini participaram de uma solenidade organizada por uma entidade cristã, nos Estados Unidos

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 30 Setembro de 2014 as 11:59

Sudanesa Meriam Ibrahim incetiva esposa de Saeed Abedini a não desistir: "Seja forte"No último sábado, a sudanesa cristã Meriam Ibrahim subiu ao palco do evento "Values Voter Summit Gala", junto ao seu marido Wani e deu uma palavra de incentivo a Naghmeh Abedini - esposa do Pr. Saeed Abedini, que está preso há mais de dois anos no Irã.

Com a ajuda de um tradutor, Ibrahim chamou Naghmeh de "irmã" e lhe disse: "Não temas; seja forte! Cuide de seus filhos e que o Senhor esteja com você".

Naghmeh Abedini compartilhou um vídeo seus filhos durante o evento. Nas imagens, o pequeno Jacob, de seis anos de idade -filho do Pr. Saeed - disse que seu coração está "chorando" porque ele "sente muito a falta do papai. muito, muito, muito, muito, muito, muito". Já a filha Rebekka, de oito anos disse: "Eu orei para que o papai volte para casa, mas ele ainda não está de volta".

Abedini também disse que, embora muitas pessoas a elogiem, ela não se sente completamente corajosa e sim desgastada por toda esta situação do cativeiro de seu marido.

Meriam Ibrahim
A cristã sudanesa compartilhou a luta que enfrentou para cuidar de seus filhos, enquanto estava na prisão. Ela disse que era particularmente difícil de cuidar de seu filho, o qual também ficou muito triste e confuso com a ausência de seu pai.

Ibrahim é casou-se com Wani - um imigrante sudanês naturalizado norte-americano - em 2011. Em agosto de 2013, um parente a denunciou às autoridades sudanesas, alegando que Ibrahim era muçulmana, porque seu pai distante era um muçulmano. Apesar de Ibrahim ter sido criada como cristã e nunca ter praticado o Islamismo, o parente afirmou que Ibrahim se "converteu ilegalmente ao cristianismo para se casar com Wani" e estava cometendo adultério. Ela foi presa em fevereiro de 2014 e posteriormente condenada à penalidade de 100 chicotadas, seguida de morte por enforcamento.

Ibrahim estava grávida da pequena Maya na prisão. Seu filho Martin também estava ao seu lado. Wani pôde visitar sua esposa e filhos na prisão, porém cada visita tinha uma duração de apenas 10 minutos.

"Esse foi o momento mais difícil para mim, porque Martin gostaria de ir ao encontro do pai ele e agarrar-se a ele. Gostaria de ficar ali sem poder fazer nada, porque ele é uma criança. Ele não entendia por que ele estava na prisão sem ter feito nada de errado. Ele não entendia por que as outras crianças podiam brincar lá fora, se divertir e estar com os seus pais e mães", descreveu Ibrahim.

Ibrahim tentou animar seu filho, dizendo: "Não fique triste... Você deve estar orgulhoso de sua mãe, porque eu não sou uma criminosa. O Senhor está conosco".

Ibrahim foi finalmente liberada da prisão em junho (2014), depois que um tribunal de apelações anulou a decisão do tribunal inferior. Wani e Ibrahim foram escoltados em seu caminho para fora do país por autoridades italianas, depois que o casal foi detido durante a sua primeira tentativa de viajar para a América.

Ibrahim agradeceu a todos que oraram por ela e trabalharam para assegurar a sua libertação. Ela também foi premiada com o primeiro "Custo do Discipulado", do Conselho de Pesquisa da Família do Discipulado, durante a solenidade de sábado.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também