"Tentei suicídio por três vezes" - Conheça o testemunho de Robson Lopes

"Cheguei à depressão, comecei a fazer tratamento psiquiátrico e a tomar remédios de tarja preta, antidepressivos, tomava remédio para dormir, para a síndrome do pânico, e para desintoxicar o álcool do meu sangue. Mas isso não adiantou, eu precisava era de cristo novamente em minha vida."

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 2 Julho de 2014 as 3:50

Robson - testemunhoConheça o testemunho de Robson Claudio Lopes:

Eu me converti em 1997, aos 14 anos. Na minha casa, só eu era cristão, fui o primeiro a ser chamado por Deus. Com seis meses de conversão, Jesus me batizou com o Espírito Santo, e no mesmo ano desci às águas batismais. Mas quando estava para completar 16 anos, minha mãe foi acometida por uma enfermidade muito grave que a levaria à morte, estava desenganada pelos médicos. Eu não entendia isso, já que estava fazendo a vontade do Senhor, evangelizava, pregava em Congressos mas não tinha maturidade para entender o seu trabalhar e a sua forma de agir.

Então, triste por ver a situação de minha mãe, decidi sair da presença de Deus, porque queria colocar Cristo contra a parede! Queria a todo custo que ele curasse minha mãe. Então decidi sair da sua presença, fui para o mundo, acabei virando roqueiro metaleiro, curtia as bandas mais pesadas do Rock, comecei a fumar e a beber muito e andar com algumas pessoas da pesada. Minha vida ficou cada vez mais degradante, meu estado se tornou igual ao do filho pródigo quando saiu da casa do pai.

Cheguei a um estado horrível, virei alcoólatra, para preencher o meu vazio eu ficava ouvindo rock no meu quarto, bebia uma garrafa de vinho, uma de conhaque e meia de vodka por dia. Eu piorava muito, ninguém me valorizava mais, não tinha respeito, todos me desprezavam, me viam como um alcoólatra. Aquele adolescente, que era visto por todos como uma benção, que orava, pregava, visitava e evangelizava, agora era visto como um nada.

Cheguei à depressão, comecei a fazer tratamento psiquiátrico e a tomar remédios de tarja preta, antidepressivos, tomava remédio para dormir, para a síndrome do pânico, e para desintoxicar o álcool do meu sangue. Mas isso não adiantou, eu precisava era de cristo novamente em minha vida.

Até que cheguei ao ponto de tentar tirar minha vida. Eu só pensava em suicídio, me sentia um lixo humano, eu não acreditava mais em mim, eu tinha vergonha das pessoas por causa do meu estado deplorável. Então tentei por 3 vezes. Na primeira, eu ingeri vários produtos de limpeza ao mesmo tempo: Ajax, Veja, Pinho Sol e removedor. Nesse dia, eu estava possesso de demônios, mas o Senhor não permitiu que nada acontecesse com o meu corpo, fiquei intacto.

Na segunda vez, pensei em chumbinho, eu sabia onde meu pai guardava. Então, naquela noite, esperei todos irem dormir e fui até o lugar onde ele guardava e não achei, fiquei furioso, queria me matar, então bebi a noite inteira para ver se tinha um coma alcoólico. Mas no outro dia, acordei bem.

Então, na terceira vez foi a mais marcante, decidi naquela noite que eu iria conseguir, não queria viver mais, tinha raiva de mim. Esperei todos irem dormir, então peguei minha garrafa de conhaque, um maço de cigarros, um punhal e sai de casa. Estava disposto a tirar a vida e a perder também, eu iria me atirar na frente de uma carreta, saí em busca disso, mas naquela noite, na avenida São Miguel (em São Paulo), nenhuma carreta passava. Eu tinha determinado em meu coração que aquele que cruzasse meu caminho eu iria arrumar alguma briga porque queria a minha morte, mas todos os que vinham em minha direção mudavam de calçada. Aquela noite estava muito calma, uma avenida movimentada estava sem movimento de carros, mas continuei andando, até que ouvi uma voz suave que me disse: “Robson, volta para minha presença, meu filho, eu te amo”. Olhei para os lados, assustado, e não vi ninguém, meu coração naquele momento disparou, senti uma paz e alegria, era a voz do Senhor. Então, larguei a garrafa no chão, o punhal e voltei para casa. Decidi no dia seguinte me reconciliar com o Senhor !

Procurei uma igreja evangélica e me reconciliei. Retornei para Cristo aos 22 anos, foram seis anos de sofrimento, mas Deus me deu vitória e me guardou. Eu sempre fui da Assembleia de Deus, desde a minha conversão, quando retornei, voltei para a mesma denominação. Mas, senti que faltava algo, mesmo assim, desenvolvi muitas atividades dentro da igreja . Fui professor de escola dominical, líder de jovens, tesoureiro, líder de equipe de evangelismo, auxiliar de pastor na direção da igreja e conselheiro, exercendo o meu diaconato com prudência.

Mas sempre tive a vontade de guardar o sábado, porque é mandamento bíblico, e não me alimentar de animais impuros, como dizem as Escrituras, mas a denominação que pertencia não tinha esse costume. Então pedi a Deus que me desse uma direção. Foi quando conheci a Igreja Adventista da Promessa e e o lindo trabalho de capelania que a igreja faz nos presídios e Fundação Casa, liderados pela coordenadora geral, missionária Solange.

Fui convidado por ela para conhecer o trabalho e a equipe de capelania IAP, foi uma benção, tive a oportunidade de pregar uma vez na Fundação Casa e isso marcou muito o meu coração, a chama por Missões acendeu, a vontade de ganhar almas queimava dentro de mim, antes eu só realizava trabalhos dentro da igreja, não tinha foco para as almas, mas Deus sabe como trabalhar.
Então depois de algumas visitas à IAP, e analisando seus rudimentos doutrinários e vendo a união do povo, pedi a Deus que me levasse para lá. Eu pedi para Deus que falasse comigo a esse respeito e Ele foi falando, o chamado para este ministério ardia em meu coração. Então, quando Deus me deu a certeza de que estava neste negócio, eu fiz minha decisão.

Naquele momento, eu trabalhava na TAM Companhia Aérea, eu trabalhava por escala e não tinha tempo para nada, nem para guardar o sábado. Meu pai já tinha uma empresa de reciclagem e, alguns anos antes, eu havia trabalhado com ele, e não trabalhava aos sábados. Então, vi que poderia voltar a administrar a empresa do meu pai. Deus trabalha nos mínimos detalhes e levou em conta tanto o chamado, para fazer a obra evangelizando, e podendo guardar o sábado. Decidi, então, pedir demissão na TAM para poder fazer capelania!

Eu já tinha certeza do que queria Deus já tinha me mostrado tudo. Então, no dia 04/05/2014 eu fui recebido com alegria na igreja Adventista da Promessa em Guaianazes (São Paulo, SP). Todos me receberam com alegria e carinho recebei também a benção do meu pastor, Evaldo Caetano, para poder fazer a capelania prisional, já sendo um membro da IAP.

Estou muito feliz por tudo, agradeço a Deus em primeiro lugar, a missionária Solange, por ter acreditado no meu chamado, ao pastor Evaldo Caetano, ao pastor Nicodemos e a todos os irmãos da Igreja Adventista da Promessa.


Por: Solange Carvalho de Almeida Oliveira e Lilian Mendes via Missões Ide
- Robson Claudio Lopes congrega na IAP em Guaianazes (São Paulo, SP).

 

 

veja também