"Vai ter cobrança" - ONG Rio de Paz organiza manifestação no Congresso Nacional

"Protestar nessa Copa não é ser chato, antipatriota ou oportunista político. É aproveitar oportunidade histórica rara a fim de ajudar o Brasil a ser campeão do mundo em justiça social"

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 2 Junho de 2014 as 10:49

Ong Rio de Paz

Nesta terça-feira, 3 de junho, a ong Rio de Paz fará uma manifestação em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, das 6hs às 18hs.

A manifestação é para reivindicar algumas cobranças referentes à realização da Copa do Mundo no Brasil.

Em sua página no Facebook, o pastor Antônio Carlos Costa, presidente da ong, publicou um texto que lista as principais reivindicações:

1. Exigimos que União, Estados e Municípios peçam perdão ao povo brasileiro:

- Por terem levado o brasileiro a crer que a Copa seria realizada com verba da iniciativa privada.

- Por terem investido fortuna de dinheiro público numa competição esportiva.

- Por terem gastado mais com a Copa do que o que havia sido anteriormente anunciado.

- Por terem realizado a Copa com dinheiro público sem consultar o povo.

- Por terem menosprezado a consciência social do povo brasileiro, que até agora não entendeu como a vontade política que falta para o investimento em saúde, segurança e educação manifestou-se na realização da Copa. O país está dividido. Milhões se sentiram ofendidos, menosprezados, abandonados.

- Por terem permitido superfaturamento na construção dos estádios de futebol.

2. Exigimos que seja observado um minuto de silêncio, no primeiro jogo do Brasil, em memória dos que morreram na construção dos estádios para a Copa.

3. Exigimos que, tal como houve na realização da Copa, metas mensuráveis para os próximos quatro anos sejam estabelecidas visando a melhoria da saúde, educação e segurança pública do país. Queremos escolas e hospitais tão concretos quanto as arenas esportivas que foram construídas.

4. Exigimos que, por meio de uma democracia mais participativa, o povo tenha o direito de fazer "Pressão Fifa" para "Padrão Fifa" nos serviços públicos, podendo assim cobrar com liberdade o cumprimento do prometido, tal como os dirigentes da Fifa fizeram ao longo dos últimos anos.

5. Exigimos que nunca mais fortuna de dinheiro público seja gasta em grandes eventos sem que o povo brasileiro seja consultado.

6. Exigimos que a Fifa declare objetivamente quanto -do lucro astronômico que obterá nesta Copa-, deixará no Brasil, como expressão de uma responsabilidade social "Padrão Fifa".

"Num país no qual 50 mil pessoas são assassinadas por ano, crianças não têm acesso a educação de qualidade, médicos não dispõe de condições dignas de trabalho -sem mencionar o fato de ser a sétima economia do mundo e estar entre os países de pior Índice de Desenvolvimento Humano do planeta-, governante encontrar tempo para alugar a cabeça com Copa e realizá-la com dinheiro que poderia ter sido investido no essencial é inaceitável.

Protestar nessa Copa não é ser chato, antipatriota ou oportunista político. É aproveitar oportunidade histórica rara a fim de ajudar o Brasil a ser campeão do mundo em justiça social".


- Rio de Paz
Dando voz aos sem voz e visibilidade ao invisíveis

veja também