10 histórias de Jesus que são ignoradas pelos filmes cristãos

Peter T. Chattaway, crítico de cinema para o site FilmChat, listou as dez histórias de Jesus que normalmente são ignoradas pelos filmes e quais foram as produções que realmente dramatizaram esses momentos.

fonte: Guiame, com informações de Christianity Today

Atualizado: Terça-feira, 23 Fevereiro de 2016 as 4:03

Haaz Sleiman em 'Killing Jesus' (2015). (Foto: Reprodução/Christianity Today)
Haaz Sleiman em 'Killing Jesus' (2015). (Foto: Reprodução/Christianity Today)

Alguns filmes cristãos destacam aspectos dos Evangelhos que são frequentemente ignorados não apenas por outros cineastas, mas também por professores, pregadores e leitores da Bíblia.

Peter T. Chattaway, crítico de cinema para o site FilmChat, listou as dez histórias de Jesus que normalmente são ignoradas pelos filmes e quais foram as produções que realmente dramatizaram esses momentos.

1. A circuncisão de Jesus

Em seu oitavo dia de vida, Maria e José circuncidaram Jesus, assim como todos os meninos judeus deveriam fazer (Lucas 2:21). Este acontecimento é importante porque ressalta a humanidade de Jesus.  Alguns teólogos argumentam que esta foi a primeira vez que Jesus derramou sangue. Então, em algum sentido, ele marcou o início do seu sacrifício pela  redenção da humanidade. Finalmente, o momento ressalta o judaísmo de Jesus.

O filme que mais trabalhou essa cena foi "Jesus de Nazaré" (1977), de Franco Zeffirelli, que enfatiza o ritual judaico. O filme ainda recebe pontos extras por combinar esta história com uma outra que é muitas vezes esquecida: a consagração de Jesus no Templo (Lucas 2:22-35), que  aconteceu um mês depois.

2. Os irmãos e irmãs de Jesus

Os Evangelhos nos dizem que Jesus tinha quatro irmãos e um número indeterminado de irmãs (Mt 12: 46-50; 13:. 55-56; Marcos 3: 31-35; 6: 3; Lucas 8: 19-21; João 2 : 12). Os Evangelhos também nos dizem que os irmãos de Jesus não acreditavam nele durante seu ministério (João 7: 2-10). No entanto, o restante do Novo Testamento indica que seus irmãos se tornaram participantes ativos e líderes da igreja primitiva (At 1:14; 00:17; 15: 13-21; 21:18; 1 Cor. 9: 5; Gal. 2: 11-13).

No entanto, poucos filmes sobre a vida de Jesus, retratam seus possíveis irmãos, porque isso exigiria que os cineastas escolhesse entre a opção de os irmãos serem filhos de Maria e José, filhos de José de um casamento anterior ou os primos de Jesus.

Há algumas exceções importantes. "Cor da Cruz" (2006), que retrata Jesus e sua família, apresenta seus irmãos e irmãs em várias cenas, bem como seu pai José.

3. A libertação de Maria Madalena

Muitas pessoas acreditam que Maria Madalena era uma prostituta antes de se juntar ao movimento de Jesus, mas não há nenhuma base sobre isso nos Evangelhos. A Bíblia diz que Jesus expulsou sete demônios dela (Lucas 8:2).

Dois grandes filmes retratam seu exorcismo. Um dos é "Rei dos Reis" (1927), um filme mudo dirigido por Cecil B. DeMille, que infelizmente a descreve como uma prostituta também. Outro é "O Senhor dos Milagres" (2000), um filme de animação que utiliza bonecos de stop-motion para ilustrar as memórias, visões e estados de espírito.

4. Joana, cujo marido trabalhou para Herodes Antipas

Lucas menciona dentre as mulheres que seguiam Jesus estava Joana, que foi casada com Chuza, responsável pela residência de Herodes (Lucas 8: 3).

Até o ano passado, nenhum dramaturgo havia reproduzido a história. Em 2015, Joana apareceu como personagem em duas produções de televisão:

Em "Quem Matou Jesus?", Joana ouve uma ameaça feita contra Jesus no palácio de Herodes, e ela tenta enviar um aviso a ele. Em "A.D. A Bíblia Continua" (2015), ela é executada pelos romanos.

5. A mulher siro-fenícia

Esta é uma das histórias mais intrigantes nos Evangelhos. Jesus não apenas rejeitou o pedido de uma mulher estrangeira para curar sua filha, mas pareceu insultá-la também, quando diz: "Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos" (Mat. 15: 21-28; Marcos 7: 24-30). Neste caso, os "filhos" referem-se aos israelitas, e "cachorrinhos" aos gentios.

Uma minissérie, no entanto, enfrentou esta história. "Jesus" (1999), produzido como parte da série "Coleção da Bíblia", enfatiza a humanidade de Jesus e usa esta cena para mostrar que ele mudou seus conceitos: "Essa mulher me ensinou que minha mensagem é para os gentios também."

6. Os leprosos ingratos

A maioria dos filmes de Jesus tendem a mostrar que todos se impressionavam com suas curas. Mas a história dos leprosos ingratos (Lucas 17: 11-19) nos lembram que algumas pessoas não eram tão gratas.

O único filme que faz alusão a esta história é a comédia "A Vida de Brian" (1979), um "ex-leproso" que pede esmolas e reclama que Jesus levou "metade de sua vida".

7. A moeda na boca do peixe

Um dos milagres mais inusitados nos Evangelhos diz respeito a um imposto que Jesus e seus discípulos teriam de pagar para a manutenção do Templo. Jesus diz a Pedro para pagar o imposto utilizando uma moeda de quatro dracmas que ele encontrou na boca de um peixe (Mt 17:24-27.).

"O Rei dos Reis" pode ser o único grande filme que mostra este milagre, e combina a história com o chamado do publicano Mateus e os ensinamento de Jesus sobre "dar a César o que é de César".

8. O plano para matar Lázaro

A ressurreição de Lázaro é um dos mais famosos milagres em toda a Bíblia e tem sido retratado em muitos filmes. Mas muitas pessoas ignoram o fato de que os principais sacerdotes tentaram fazer com que Lázaro fosse morto, porque sua fama repentina chamou muita atenção a Jesus (João 12: 9-11).

Dois filmes, "A Última Tentação de Cristo" (1988) e "Jesus, o Espírito de Deus" (2007), mostram que o homem que entregou Lázaro era Saulo, perseguidor no início da igreja que se tornou o missionário cristão Paulo.

9. Os dois filhos de Simão de Cirene

Três dos Evangelhos mencionam que um homem chamado Simão de Cirene foi forçado a carregar a cruz de Jesus. Mas somente o livro de Marcos menciona que Simão era "pai de Alexandre e Rufus" (15:21). A tradição diz que Marcos escreveu seu Evangelho em Roma, e a carta de Paulo aos Romanos inclui uma saudação para um homem chamado Rufus, cuja mãe era como uma mãe para Paulo (Rom. 16:13). É este o mesmo Rufus mencionado em Marcos?

Não sabemos, mas é divertido especular. Dois filmes, "Rei dos Reis" e "A Paixão de Cristo" (2004), fazem um aceno para esta passagem através da introdução de Simão na companhia de um de seus filhos antes dos romanos forçá-lo a carregar a cruz.

10. As dúvidas das testemunhas sobre a ressurreição

Muitos cristãos desejaram ver Jesus ressuscitado, e outros têm levado a sério o que Cristo disse a Tomé: "Bem-aventurados os que não viram e creram " (João 20:29). Mas e se mesmo vendo houvesse dúvidas?

A minissérie "A.D. Anno Domini" (1985) relata a incredulidade de Tomé. Da mesma forma, o filme "Ressurreição" (que terá estréia nos cinemas do Brasil no dia 17 de março) apresenta um incrédulo que testemunhou Cristo ressuscitado e luta com a possibilidade de aceitar o que ele viu.

veja também