9 cristãos são mortos no dia de Natal por rebeldes islâmicos

A porta-voz militar regional Joan Petinglay revelou que os mortos incluem nove aldeões cristãos abatidos pelos insurgentes islâmicos, enquanto as forças militares mataram pelo menos cinco dos rebeldes.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 29 Dezembro de 2015 as 12:53

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Cerca de 200 rebeldes islâmicos mataram pelo menos nove pessoas nas aldeias cristãs no sul das Filipinas em ataques no dia de Natal, segundo informações oficiais. A Associated Press informou que os confrontos entre forças do governo e rebeldes islâmicos teve lugar em três províncias diferentes em todo o país na véspera de Natal e Dia de Natal.

A porta-voz militar regional Joan Petinglay revelou que os mortos incluem nove aldeões cristãos abatidos pelos insurgentes islâmicos, enquanto as forças militares mataram pelo menos cinco dos rebeldes.

Petinglay explicou que cerca de 200 rebeldes realizaram um total de oito ataques na quinta-feira (24) e sexta-feira (25), procurando desestabilizar o país e infligir terror sobre a população civil.
"Nós aprendemos que o Bangsamoro Islamic Freedom Fighter insurgentes (BIFF) tinha planos para atacar civis. Por isso fomos em alerta, mesmo antes do Natal", disse Petinglay. "Isso impediu os rebeldes de atacar aldeias e infligir outras mais baixas", relatou.

A porta-voz militar revelou que um número considerável de moradores se esconderam em uma igreja católica nas proximidades por causa dos ataques no dia de Natal espalhados pela região.
Coronel Ricky Bunayog, comandante do batalhão local no sul da ilha de Mindanao, disse à agência de notícias francesa, AFP, que os rebeldes muçulmanos estão tentando retomar o que eles veem como sua pátria ancestral dos cristãos em Mindanao.

"Desde sábado, está tranquilo, mas o dano já foi feito. As pessoas nos arredores estão com medo e à noite, eles se movem para o centro da cidade para dormir no ginásio local”, disse Bunayog. "Eu digo a eles que temos forças de segurança suficientes, mas eles estão com muito medo", acrescentou.

Alguns dos líderes do BIFF também têm declarado seu apoio ao grupo terrorista do Estado Islâmico no Iraque e na Síria, e têm como alvo maioria da população católica romana das Filipinas.

Confrontos entre rebeldes e o governo têm crescido mais em 2015, com uma ofensiva militar deixando pelo menos 100 homens islâmicos mortos no início deste ano. Os rebeldes BIFF romperam de um grupo rebelde islâmico anos atrás, porque eles recusaram propostas para as negociações de paz e as negociações com o governo central.

Pontífice

Papa Francisco reagiu à notícia dos assassinatos do dia de Natal, chamando a todos os crentes a rejeitar a violência em nome de Deus. "O Santo Padre ficou profundamente triste ao saber do assassinato sem sentido de pessoas inocentes em Mindanao, e ele envia condolências às famílias daqueles que perderam suas vidas. Sua Santidade reza para que seja estabelecida a segurança para todas as pessoas da região, para que o diálogo, a tolerância e a paz possam permitir a cada pessoa a viver livre do medo", disse o cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano, em uma carta ao Dom Giuseppe Pinto, líder religioso nas Filipinas.

"Ele pede a todos os crentes a rejeitar a violência em nome de Deus, que é amor, e invoca abundantes dons divinos da consolação, misericórdia e força sobre aqueles afetados por esta tragédia", acrescentou a carta.

veja também