"Agradeço a Deus por ela estar bem", diz mãe que teve filha salva em tiroteio na Flórida

O atirador entrou no clube e abriu fogo para abater os jovens que tinham por volta de 13 anos no “Club Blu”. Testemunhas descreveram as cenas como uma "casa de loucos".

fonte: Guiame, com informações do site Hello Christian

Atualizado: Segunda-feira, 25 Julho de 2016 as 10:54

O incidente foi registrado seis semanas depois de um ataque contra uma boate gay em Orlando (Flórida). (Foto: Reprodução).
O incidente foi registrado seis semanas depois de um ataque contra uma boate gay em Orlando (Flórida). (Foto: Reprodução).

Duas pessoas morreram e pelo menos 16 ficaram feridas após um tiroteio em massa numa boate em Fort Myers, no estado americano da Flórida, na madrugada desta segunda-feira (25). De acordo com a mídia local, acontecia na casa noturna uma festa para adolescentes.

Segundo a NBC, o tiroteio ocorreu às 0h30min (01h30 de Brasília) e uma pessoa foi detida. O departamento de polícia de Fort Myers indicou que duas pessoas morreram e ao menos "entre 14 e 16" ficaram feridas leve e gravemente.

O atirador entrou no clube e abriu fogo para abater os jovens que tinham por volta de 13 anos no “Club Blu”. Testemunhas descreveram as cenas como uma "casa de loucos".

A filha da cristã Syreeta Gary sobreviveu ao ataque. Falando em um vídeo no Twitter, ela disse: "Bem, eu só agradeço a Deus por minha filha estar bem. Ela poderia ter sido baleada. Ela estava desviando das balas e se esquivando por meio dos carros", disse.

Ela continuou: "É ridículo que as crianças tenham que passar por isso. Eles não podem ficar seguras, pois existem pessoas com mentes voltadas para o crime, que querem aterrorizar as pessoas", comentou.

"Estou feliz que ela está bem. Ela estava fugindo das balas para que não levasse um tiro. Sua amiga levou um tiro na perna. Eles estavam correndo para a segurança, nessa hora", disse ela. A polícia deteve uma pessoa em uma segunda cena do crime nas proximidades.

Outros tiroteios

O incidente foi registrado seis semanas depois de um ataque contra uma boate gay em Orlando, também na Flórida, no qual 49 pessoas morreram, sendo considerado o pior massacre da história recente dos Estados Unidos.

Houve relatos de tiroteios em dois outros locais. A polícia está tratando os três incidentes como interligados.

A rede CBS declarou, por sua vez, que uma casa e um veículo próximos também foram atingidos por tiros, deixando uma pessoa levemente ferida. A polícia seguia buscando outras pessoas que poderiam estar relacionadas ao ocorrido, segundo um comunicado obtido pela NBC.

Assista ao vídeo com o depoimento completo de Syreeta Gary, em inglês:

veja também