Agressão contra evangélico motiva protesto em Volta Redonda (RJ)

A manifestação pacífica foi motivada pelo fato ocorrido dias antes no mesmo local em que se concentrou o grupo: a agressão contra um cristão, que portava um cartaz com a frase "Jesus é Paz".

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 27 Junho de 2014 as 9

Agressão contra evangélico motiva protesto em Volta Redonda (RJ)Na última quarta-feira, 25/06, evangélicos foram à rua protestar contra a violência. A manifestação pacífica foi motivada pelo fato ocorrido dias antes no mesmo local em que se concentrou o grupo: a agressão contra um cristão, que portava um cartaz com a frase "Jesus é Paz". O fato teria ocorrido em um cruzamento do bairro Voldac, em Volta Redonda (RJ), ao lado da sede do 28º Batalhão de Polícia Militar.

Renan Costa - o homem que segura o cartaz - já se tornou conhecido por muitos moradores da cidade, que apesar de não conhecerem seu nome de batismo, o apelidaram com a própria frase do cartaz que ele segura. Segundo moradores da região, o homem apenas segura o cartaz e cumprimenta os motoristas e pedestres que passam por aquele local, sem pedir dinheiro / esmolas.

Renan contou que o suposto agressor foi um malabarista, que também costuma ficar neste mesmo sinal. Além da agressão física, o artista de rua o xingou e rasgou o cartaz com a tão conhecida frase.

Segundo o missionário, esta não foi a primeira vez que foi agredido por pessoas que "dividem" aquele espaço com ele. Os ataques costumam vir de diferentes malabaristas, dificultando a identificação destes.

"Já chutaram minha mochila, jogaram uma faca em mim, mas a de ontem (quarta-feira) foi a mais forte. Ele começou a gritar muito comigo, pegou uma faca e rasgou minha placa e ficou na minha frente me ofendendo. Depois pegou as coisas na minha mochila, bebeu minha água", lamentou.

Renan ainda contou que o fato dele não ter reagido à violência deixou o agressor ainda mais irritado.

"Eu só conseguia olhar para o céu e pedir para Deus me dar forçar para não fazer nada. Cheguei a gritar por socorro e até um policial militar apareceu e conversou com ele pedindo para parar. Mas bastou o policial ir embora para ele voltar a fazer a mesma coisa. Quando percebi que não iria parar, peguei as minhas coisas e saí andando", detalhou.

Aconselhado pelos membros de sua igreja, o rapaz registrou um boletim de ocorrência, na 93ª DP (Volta Redonda), mas assegurou que vai continuar evangelizando no sinal.

"Não penso em parar. É Deus que quer que eu esteja fazendo esse trabalho. Sempre sou afrontado nas ruas, mas o preço que Jesus pagou foi muito mais caro. Evangelho é isso mesmo: perseguição e luta", considerou.

Apoio
Organizadora da manifestação e amiga de Renan, a comerciante Roseli Suares Silva disse que Renan o rapaz chegou ao seu local de trabalho, chorando ao contar o caso.

"Eu trabalho na cantina da IPV (Igreja Presbiteriana Viva) e ele chegou lá chorando contando o que aconteceu. Ficamos tristes com o ocorrido e resolvemos também vir para a rua. A verdade é que estamos juntos com ele. Não temos problemas com os malabaristas, mas eles também não podem agredir o Renan. Ele não faz isso por dinheiro ou fama. Hoje ele só está aqui porque estamos com ele. Então as pessoas têm que respeitá-lo", afirmou.

Roseli destacou que a ação irá continuar e que agora, Renanestá sempre acompanhado.

"Convocamos jovens, adultos, crianças... Para que também venham para as ruas. Não estamos fazendo isso apenas pelo Renan, mas para Deus. Pois foi ele que enviou o Renan para transmitir a sua palavra. Então, quem quiser vir, às 10h já estaremos aqui com as nossas plaquinhas e pregando a palavra a quem passa", enfatizou.

Com informações do Diario do Vale

veja também