“Ainda tem muita gente que vive a igreja de uma forma social”, diz Apóstolo Fabio Abbud

“Se o Evangelho não deixar de ser superficial, se as pessoas não pararem de viver sua fé de uma forma racional, emocional e até social, a igreja não vai ser aquela que Jesus diz na Palavra”, disse Abbud, em entrevista ao GUIAME.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 26 Fevereiro de 2015 as 8:06

O Apóstolo Fabio Abbud, líder da Comunidade Cristã El Shaddai, durante a Escola Profética.
O Apóstolo Fabio Abbud, líder da Comunidade Cristã El Shaddai, durante a Escola Profética.

 

Ao abrir um noticiário é nítido perceber, ainda que de maneira rasa, o tempo difícil em que a Igreja de Cristo está vivendo. O Apóstolo Fabio Abbud, líder da Comunidade Cristã El Shaddai, disse que a intimidade com Deus é a chave para os cristãos enfrentarem este tempo.

“Esses são dias em que a Igreja de Jesus precisa, mais do que nunca, se valer da presença de Deus. O chamado de Deus para esses dias é uma busca pela intimidade do Espírito. Isso fala de santificação, transformação e de um revestimento de poder que a Igreja precisa para enfrentar os dias maus que estamos vivendo”, disse o apóstolo com exclusividade ao GUIAME, durante a Escola Profética que aconteceu em Campinas, na semana passada (19).

Por ser um apóstolo que dá cobertura para muitos ministérios, Abbud diz que tem percebido a superficialidade com que muitas pessoas encaram o Evangelho, sem um nível de comprometimento com a missão da igreja. “A missão da igreja só é possível para quem realmente tem a vida governada pelo Espírito. Ainda tem muita gente que vive a igreja de uma forma social”, conta.

“Se o Evangelho não deixar de ser superficial, se as pessoas não pararem de viver sua fé de uma forma racional, emocional e até social, a igreja não vai ser aquela que Jesus diz na Palavra: santa, sem máculas, sem rugas, sem defeitos e gloriosa”, disse Abbud.

Fabio Abbud ainda explica que a base do discipulado está na liderança, que passa para a igreja aquilo que Deus tem derramado nela. “O trabalho do M12 (Visão Celular no Modelo dos 12) é um modelo que trabalha com o discipulado da liderança. Se Deus não puder tocar os líderes, Ele não vai poder tocar o povo”, finaliza.

 

 

veja também