Aluno norte-americano tenta afirmar sua fé em discurso e é barrado por sua escola

Após ter três de suas propostas de discurso negadas pela escola, o estudante responsável por falar em uma cerimônia de formatura quebrou o protocolo e decidiu por de fato "denunciar" a atitude da instituição.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 16 Junho de 2014 as 3:41

Escola tenta barrar discurso de aluno cristão que queria professar sua féA escola de ensino médio "Brawley Union" da Califórnia (EUA) negou por três vezes o discurso do estudante cristão Brook Hamby. A medida tomada pela instituição foi motivada pelo fato de que o aluno tinha o desejo de expressar sua fé cristã.

Após ter três de suas propostas de discurso negadas pela escola, o estudante responsável por falar em uma cerimônia de formatura quebrou o protocolo e decidiu por de fato "denunciar" a atitude da instituição.

"Ao vir diante de vocês hoje, apresentei três rascunhos de meu discurso, todos foram negados por causa do meu desejo de compartilhar com vocês meus pensamentos pessoais e inspiração: a minha fé cristã", disse o aluno.

O discurso gerou comentários e muita polêmica entre a multidão. Porém o aluno acrescentou que nenhum ser humano cumpriu o seu propósito agradando a outros.

"Nenhum homem ou mulher jamais conseguiu verdadeiramente seu propósito por conta de viver para os outros ou sem se posicionar sobre o que sabiam em seu coração, sobre o certo e o errado", disse.

Ele também citou a Bíblia, como "o maior best-seller de todos os tempos na História".

Hamby leu a passagem Mateus 5:13, que diz: "Vocês são o sal da terra, mas se o sal perder o seu sabor, como pode ser feito salgado novamente? Já não é bom para nada, senão para ser lançado fora e pisado. "

Casos semelhantes
Em junho do ano passado, Roy Costner IV, 18 anos, também surpreendeu colegas e professores, ao optar por rasgar o seu discurso pré-aprovado pela "Liberty High School", em Pickens County, Carolina do Sul (EUA), e recitou a oração do Senhor em sua cerimônia de formatura.

A oração foi recitada, simbolizando um desafio de mudança do Distrito Escolar do Condado de Pickens, que proibiu que orações fossem feitas nas dependências da escola depois de "reclamações" de grupos como a American Civil Liberties Union e Freedom From Religion Foundation.

Em 2012, uma outra estudante, Kaitlin Nootbaar ganhou o título de orador oficial em sua escola em Oklahoma, mas o seu diploma teria sido negado depois de o aluno usar a palavra "inferno" em seu discurso de graduação.

Sua citação foi: "Quando ela começou a primeira escola que ela queria ser uma enfermeira, em seguida, um veterinário, e agora que ela estava ficando mais perto de graduação, as pessoas perguntavam a ela, o que você quer fazer, e ela disse: 'Como o inferno eu sei? eu mudei de idéia tantas vezes...".

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto

veja também