Ana Paula Valadão diz que está “orando” por quem a criticou sobre o caso C&A

No vídeo, a pastora relata que os comentários tem sido agressivos, mas que ela está em oração por quem a persegue.

fonte: Guiame, Karlos Aires

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2016 as 12:11

A cantora ainda agradeceu a classe cristã por acreditar na imutável palavra de Deus. (Foto: Reprodução / Facebook).
A cantora ainda agradeceu a classe cristã por acreditar na imutável palavra de Deus. (Foto: Reprodução / Facebook).

A cantora Ana Paula Valadão publicou um vídeo em sua Fanpage oficial, na manhã dessa segunda-feira (23) comentando sobre a polêmica que envolve a loja C&A. Em uma publicação na última sexta-feira (20), Ana se posicionou contra um comercial da loja que faz apologia a ideologia de gênero.

No vídeo, a pastora ressalta que os comentários tem sido agressivos, mas que ela está em oração por quem a persegue. “Os últimos dias tem sido bastante interessantes desde que eu me posicionei a favor da família tradicional e contra a imposição da ideologia do gênero”, inicia.

“Eu quero dizer para você que tem respondido com palavras tão agressivas nas minhas redes sociais que eu aprendi com o Senhor Jesus a amar os meus inimigos e a orar pelos os que me maldizem, pelos que me perseguem”, comenta no vídeo que em menos de uma hora atingiu mais de 200 mil visualizações.

“E eu quero dizer que eu tenho orado por você. Tenho abençoado você”, pontuou a líder do Ministério Diante do Trono.

A cantora ainda agradeceu a classe cristã por acreditar na imutável palavra de Deus. “E eu quero agradecer aos cristãos que continuam como eu acreditando que a palavra de Deus é imutável. Não importa a geração, a sociedade, os tempos, as épocas. Os princípios e os valores da palavra são eternos”, ressaltou.

“O Senhor Jesus veio ao mundo e o evangelho de João diz que Ele veio com amor e verdade. Vamos continuar falando a verdade em amor”, finalizou.

Ditadura e censura

Ricardo Marques é professor, neurobiólogo, psicoterapeuta. Ele teceu um comentário sobre o caso, afirmando que o Brasil vive um tempo de ditadura ideológica. “Vivemos, hoje, num país sob a ditadura da censura ideológica, do controle da opinião e do ataque à liberdade de crença e de expressão. Pensou diferente da propaganda do radicalismo político-ideológico de certos movimentos? Prepare-se: irão cuspir e vomitar em você. Virtual ou fisicamente”, comentou em seu Facebook.

O professor ainda comentou sobre a ideologia de gênero. “A Ideologia de Gênero morreu nos países que foram pioneiros em sua promoção e sustentação, e que a tornaram uma política pública. Enquanto isso, no Brasil, induzida como gado por movimentos ativistas manipuladores, tem gente querendo que essa ideologia vire política pública e seja imposta à sociedade, indo na contramão dos fatos. Pura ignorância”, ressaltou.

 

veja também