Após passar 24 anos preso injustamente, homem se torna pastor: "Eu nunca culpei a Deus"

Apesar da injustiça sobre o seu caso, Darryll Burton entendeu que Deus transformou o mal em bem. "Eu acho que Deus usou a situação da mesma maneira que fez com José [do Egito], quando ele foi preso e tratado por seus irmãos de uma forma injusta".

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 12 Janeiro de 2016 as 11:36

Pastor Darryll Burton fala para estudantes do ensino médio, em Olathe, no estado do Kansas (Foto:  Kansas City)
Pastor Darryll Burton fala para estudantes do ensino médio, em Olathe, no estado do Kansas (Foto: Kansas City)

Uma igreja Metodista de 22.000 membros no Kansas contratou um homem que foi injustamente condenado por assassinato e passou 24 anos atrás das grades, para ser seu mais novo pastor associado. Depois de receber sua liberdade, Darryl Burton concluiu o seminário teológico, em dezembro e agora foi ordenado pela comunidade cristã.

Embora Darryl tenha crescido na fé batista, ele deixou de ir à igreja durante a sua adolescência e tornou-se cada vez mais desiludido com a religião, tornando-se um cético sobre as questões relacionadas a Deus. Enquanto ele se distanciava da igreja e de Deus, sua avó lhe advertia que "um destes dias, menino, você vai precisar de Jesus. Eu espero que você lembre-se de invocá-Lo".

Mesmo após sua vó ter falecido, suas palavras voltaram a soar em sua cabeça, quando ele passou mais de duas décadas na prisão, após ter sido condenado em 1985 por um assassinato que não cometeu.

Em uma entrevista concedida na última segunda-feira (10) ao 'Christian Post', Burton, que recentemente assumiu seu novo papel como pastor associado nos cuidados congregacionais da Igreja da Ressurreição (Metodista) em Leawood, Kansas, disse que abriu seu coração para Cristo, somente após ter passado 15 anos na prisão.

"Durante os primeiros 15 anos ou mais que eu estive apenas tentando fazer tudo segundo minhas próprias habilidades. Claro, eu estava realmente irritado, chateado e frustrado sobre a minha situação. Eu fui preso injustamente", explicou Burton. "Eu disse: 'Bem, eu tentei tudo, mas Deus, o que eu tenho a perder?'. Eu simplesmente desafiei Jesus - 'Se você é real, mostre-me. Se você me ajudar, vou atendê-Lo e contar ao mundo todo sobre você".

Sabendo que sua condenação no tribunal se deu em razão de duas duas testemunhas de acusação - as quais afirmaram que Burton tinha cometido o assassinato de um homem em St. Louis, o então réu escreveu mais de 700 cartas a legisladores, advogados e ativistas que são conhecidos por ajudar - sem cobrar qualquer valor - homens que são presos injustamente.

Depois de anos de espera pela assistência jurídica, a 'Centurion Ministries' - uma organização sediada em Nova Jersey dedicada a cuidar de casos de homens condenados injustamente - o ajudou em uma batalha legal de oito anos, que convenceu um juiz a derrubar a condenação de Burton em 2008, alegando que seu julgamento de 1985 foi constitucionalmente falho.

Embora ele tenha passado mais de 24 anos na prisão, Burton, que ouviu a mensagem de Cristo através de vários ministérios na prisão e de um homem devoto, não culpou a Deus por colocá-lo na prisão e explicou que viu semelhanças entre o seu prisão e que de José da Bíblia.

"Eu acho que Deus usou a situação da mesma maneira que fez com José [do Egito], quando ele foi preso e tratado por seus irmãos de uma forma injusta", declarou Burton. "O que o homem e os seres humanos fizeram para o mal, Deus usou para o bem. Essa é a maneira que eu enxergo tudo isso. Eu nunca culpei a Deus. Deus não colocou lá".

Depois de Burton ter sido libertado da prisão em 2008, ele levou alguns anos, antes que ele finalmente percebesse que ele tinha uma chamado de Deus para se tornar um pastor. No período de um ano, Burton disse que ele foi convidado em duas ocasiões separadas para exercer o ministério, mas ele ainda não estava interessado em liderar uma igreja.

"Eu tentei viver sem Deus quando eu era jovem, e agora, quando eu ouço as pessoas falarem sobre Deus, presto muita atenção", disse Burton. "Eu disse: 'Quero saber o que os pastores fazem' e me matriculei no seminário. Eu disse: 'Eu fui chamado para o ministério e é melhor eu simplesmente obedecer a Deus, porque se eu não obedecer a Ele, isso pode sair realmente caro".

Em 2012, Burton - que não tem o ensino médio completo - começou a ter aulas na Escola de Teologia 'Saint Paul'. Em dezembro de 2015, Burton se formou no seminário. Após sua graduação, o cargo de um pastor associado da Igreja da Ressurreição estava esperando por ele.

"Claro, eu queria dizer ao mundo sobre Deus, mas só Deus poderia escrever um roteiro como este", disse Burton. "Eu não tinha ideia sobre qualquer coisa que poderia acontecer na minha vida até agora".

O pastor acrescentou que ele tem um grande interesse no ministério de evangelismo entre presidiários e de ressocialização de jovens infratores.

"Meu papel é apenas o de ser um servo humilde e fazer o que me pedem e que eu estou autorizado a fazer", disse Burton. "Eu só quero falar para o mundo, como eu disse a Jesus que eu iria falar ao mundo sobre Ele. Farei o possível para levar a mensagem dEle por todo o globo. Como eu disse, esta igreja é muito pequena. Como [John] Wesley disse, "o mundo é minha congregação".

Embora Burton trabalhe para uma igreja com mais de 20.000 membros - tornando-se uma dos maiores do país - ele ainda acredita que a igreja não é grande o suficiente e que ainda há espaço para a congregação a crescer.

"Cristo disse para levá-Lo a todas as nações da Terra, por isso ainda temos trabalho a fazer", Burton sustentou.

veja também