Assim como Tropa de Elite, evangélicos do Bope contam suas histórias

Assim como Tropa de Elite, evangélicos do Bope contam suas histórias

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 9:55

 O filme brasileiro mais visto do ano, Tropa de Elite, com 4,4 milhões de espectadores,  o longa chamou atenção por retratar a história do Bope, o temido Batalhão de Operações Policiais Especiais. O que poucas pessoas sabem é que o Bope não é somente um grupo de homens, ou caveiras,  como são chamados, vestidos de preto e treinados para enfrentar o alto escalão da criminalidade. São também homens como qualquer outro e que entre eles, exercem a fé e disseminam a palavra de Deus através da congregação de evangélicos interna, criada em 2001, com apoio do alto comando.

  Entre os religiosos estão batistas, assembleianos, membros da Universal e Deus é Amor, formando assim um grupo de oração e apoio espiritual nas reuniões diárias. Durante o momento de culto eles oram, louvam e pedem intercessão para aqueles que vão para rua combater crimes.

  A congregação é formada por aproximadamente 40 membros, entre sargentos, comandantes, tenentes, tenente-coronel e subcomandante. Na reportagem da revista IGREJA em 2007 mostrou o dia-dia desta congregação. De acordo com o sargento Valmir de Souza Silva, no início as reuniões aconteciam em diversos locais como o rancho do quartel, auditório e até a sala do comandante. " Um policial disse que, durante uma incursão, foi parado uma senhora evangélica. Ela disse que não o conhecia e não sabia o que ele estava pedindo a Deus, mas que via uma luz descendo sobre a vida dele. Naquele dia, os traficantes daquela localidade bateram em retirada, o que não acostumava ocorrer sem antes iniciarem um grande confronto. Ele entendeu rapidamente que era a resposta de Deus para sua oração", relata.

Para os integrantes do Bope, o comportamento exemplar dos PMs cristãos não os isenta da dura rotina de treinamentos e da rigorosa hierarquia.

  EVOLUÇÃO MINISTERIAL NO BOPE       Mas eles não só sobem morros, eles também adoram. Por conta disto foi formada a  Tropa de Louvor ou ‘Caveiras de Cristo’, banda gospel do Bope tem realizado culto-show em diversas comunidades pacificadas do RJ. No  dia 15 de maio os policias conseguiram unir 200 pessoas no morro do Borel.

  Carlos Mello, sargento e pastor da Assembleia de Deus, com a bíblia na mão direita e o emblema da caveira no braço esquerdo convidava as pessoas residentes, “Estamos aqui trazendo a palavra do Senhor, Deus está neste lugar”.

  Para descontrair o público tímido e desconfiado, a banda do Bope abre espaço para calouros evangélicos, mantendo um clima de descontração constante e fazendo um culto animado pela Tropa de louvor.  

O culto organizado pelo ‘Caveiras de Cristo’ une pastores, padres e moradores, que oram de mãos dadas. “Isso aqui traz esperança”, diz o padre da Paróquia São Camilo, na Tijuca, José Patrício de Souza.  

Já para o bispo da Igreja Evangélica Pentecostal Salvação por Cristo, Antonio Ferreira, 75 anos, o culto não é para falar de religião: “Estamos aqui para unir pessoas”.  

“É a primeira vez que os vejo. Estou realmente surpresa. Desmistifica aquela imagem do Bope nos lugares com o Caveirão, vindo para matar”, disse a auxiliar de creche, Andréia Cristiane de Albuquerque, 34 anos.

  PRIMEIRO DISCO A Tropa de Louvor, banda gospel com 14 integrantes lançou no dia 18 de maio o primeiro CD do grupo. Com músicos de diferentes denominações religiosas, a banda arcou com cerca de R$ 20 mil na produção final do disco.

Um dos integrantes, o baterista e sargento do Bope Luiz André Monteiro, de 39 anos, conta que tudo começou em 2009, quando um grupo de militares formou a banda – que se apresenta de camisa preta, com a inscrição “Se queres a paz, prepara-te para a guerra” -, com participação de amigos civis da segurança privada. Atualmente, metade do grupo é de PMs e a outra é de civis.

veja também