Ativista cristão alerta contra aborto de crianças com Síndrome de Down: "São criadas por Deus"

David Benham aproveitou o Dia da Síndrome de Down para alertar sobre a quantidade de abortos que acontecem, simplesmente porque as mães não querem lidar com isso.

fonte: Guiame, com informações do site Hello Christian

Atualizado: Sexta-feira, 24 Março de 2017 as 1:05

Segundo David, 90% dos bebês com síndrome de Down são abortados nos EUA. (Foto: Reprodução).
Segundo David, 90% dos bebês com síndrome de Down são abortados nos EUA. (Foto: Reprodução).

Dois irmãos americanos, bastante ativos nas mídias quando se trata de defender a vida, estão mais uma vez à frente dessa luta. Os Benham entendem que o número de bebês abortados nos EUA é absurdo, mas dessa vez eles estão focando em um grupo específico: as crianças, com com Síndrome de Down.

Eles fizeram um um vídeo para o Facebook com duas famílias, explicando que o Dia da Síndrome de Down, que foi na última terça-feira (21), é bastante especial para eles. As informações são do site The Christian Post.

"Lucas é amado por Deus e é criado por Deus, além de ser especial", disse David Benham no vídeo, fazendo referência a uma das crianças que estavam com eles. "E Emma é amada por Deus e é especial também. A igreja realmente precisa liderar esse caminho, porque nós amamos essas crianças e amamos essas famílias", ressaltou.

Dados preocupantes

"Na Islândia, desde 2008, não houve um bebê com Síndrome de Down que tenha nascido. No Reino Unido há mais bebês com síndrome de Down abortados do que nascidos", disse ele.

"Até mesmo nos Estados Unidos, 90% dos bebês com síndrome de Down e outros bebês com Trissomia são abortados", acrescentou David.

“Essa tragédia precisa parar. Acreditamos que todas as pessoas - não importa sua condição física, emocional ou mental - são criadas à imagem de Deus. Para nós, o aborto é uma tremenda ofensa a Deus. E o problema das pessoas neste caso é que elas não se preocupam com Deus ou nem sequer reconhecem Deus", alertou o presidente da Life Matter Worldwide.

"Nos queremos dizer que vamos cuidar dessa situação difícil sobre a Síndrome de Down. Matar essas crianças por conta disso é uma grande ofensa", pontuou.

Confira o vídeo na íntegra (em inglês):

veja também