Atleta olímpica supera depressão após se arrepender de aborto: "Deus me restaurou"

Sanya contou que realizou o aborto para poder participar das Olimpíadas de Pequim, em 2008. Apesar de ter ganhado a medalha de ouro, a grande tristeza não saía de seu coração.

fonte: Guiame, com informações do CharismaNews

Atualizado: Terça-feira, 13 Junho de 2017 as 10:11

Poucas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, Sanya descobriu que teria um bebê. (Foto: Reprodução).
Poucas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, Sanya descobriu que teria um bebê. (Foto: Reprodução).

Ela é detentora de cinco medalhas olímpicas de ouro. Sanya Richards-Ross pode se orgulhar de suas conquistas como atleta, mas há algo de que ela se envergonharia. Ela tem sido cada vez mais honesta sobre as cicatrizes invisíveis que foram deixadas para trás após um aborto.

Em seu novo livro, Chasing Grace, Sanya abre seu coração sobre um aborto que teve duas semanas antes das Olimpíadas de Pequim, em 2008. "Eu tomei uma decisão que me derrubou e uma da qual eu não seria curada imediatamente", escreveu na obra que deve chegar essa semana às livrarias.

A velocista de 400 metros relembrou seu passado com o objetivo de ajudar jovens atletas e estudantes. Mas, essa não é uma decisão recente, na verdade vem acontecendo há muito tempo. Ela diz que a vergonha de ter feito um aborto a manteve calada durante nove anos.

"Eu literalmente orei sobre isso (revelando o aborto) por quase dois anos, porque é algo realmente privado, e muitas mulheres não falam sobre isso", disse Sanya no podcast "Newsworth with Norsworthy", na semana passada.

O momento mais difícil

"Quando descobri que estava grávida antes das Olimpíadas, tive o momento mais difícil da minha vida", disse ela. "Não foi uma história fácil de compartilhar. Eu penso e me pergunto como as pessoas vão receber essa informação. Mas, finalmente, eu fiz isso para glorificar a Deus e dizer às pessoas que você pode se arrepender de qualquer decisão, não importa o quão difícil seja", ressaltou.

Poucas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, Sanya e seu (agora) marido, Aaron Ross, descobriram que teriam um bebê. Mas ela e o cornerback do New York Giants sentiram que a gravidez inesperada prejudicaria suas carreiras. "Tudo o que sempre quis parecia estar ao meu alcance", escreve ela em suas memórias.

"O ponto culminante de uma vida de trabalho estava bem na minha frente. Naquele momento, eu parecia não ter nenhuma escolha. Minha vida começou a rodar pela minha cabeça e o aborto de uma criança fora do casamento, no auge da minha carreira parecia insuportável. O que meus patrocinadores, minha família, minha igreja e meus fãs pensariam de mim?"

Eles decidiram ter o aborto

"Por telefone, não entramos em detalhes", escreve ela. "Como se não dizer que eu tinha abortado pudesse aliviar a culpa e a vergonha". Duas semanas depois, Sanya ganhou o ouro feminino de 400 metros, mas isso não foi o suficiente para diminuir a dor que sentia por ter feito o aborto.

"O aborto seria para sempre parte da minha vida", continuou ela. "Uma letra escarlate que eu nunca pensei em usar. Eu era uma campeã, uma campeã de classe mundial e recordista. Das alturas dessa realidade, cai em profundo desespero e depressão", contou.

Ela também criou uma ferida mais profunda em seu relacionamento com Ross. "Eu sempre abrigava algum ressentimento em relação a ele", escreveu ela. "Foi nosso desastre, mas me senti abandonada na decisão. Era como se ele não tivesse dito nada, nem concordando nem se opondo. Ele manteve sua consciência limpa, mas não era justo. Estávamos juntos". O casal agora diz que Deus os curou e restaurou seu relacionamento. Eles estão entusiasmados por receber um novo bebê no final deste ano.

veja também