Atletas do Cruzeiro expressam sua gratidão pela tetracampeonato: "A Deus toda glória"

Mensagens que expressavam a fé cristã foram estampadas em um bandeirão na arquibancada e também nas camisetas dos jogadores e de suas respectivas esposas, que mantém um grupo de oração pelos atletas.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 24 Novembro de 2014 as 4:21

Torcedores do Cruzeiro estendem bandeira durante vitória sobre o GoiásNa última partida entre Cruzeiro e Goiás (domingo), não só a vitória da raposa e conquista do tetracampeonato chamaram a atenção dos comentaristas e telespectadores, mas também a grande frequência em que os jogadores citaram sua gratidão a Deus pelo resultado alcançado.

Parece que tal sentimento invadiu também a arquibancada, que acabou ganhando também um bandeirão com a mensagem: "A Deus toda glória".

O mesmo texto também foi estampado nas camisetas de quase todo o elenco do time e outras dezenas de pessoas.

"Os familiares se reúnem para orar. Sabemos que o futebol é um jogo, de derrotas e vitórias, mas sabendo que a ele toda a honra e toda a glória. E hoje nós dedicamos o título a ele. É um time inteiro envolvido nisso, uma torcida inteira. Sabendo que há um Deus no céu que nos abençoa. Sem Deus, a gente não seria nada", disse Léo.

Porém a fé não surge apenas em frente às câmeras ou nas arquibancadas. Os jogadores têm contado com o apoio de uma grande equipe de oração, formada pelas esposas / namoradas dos jogadores - as quais tiveram a ideia de abrir o bandeirão na arquibancada. Todo o material foi pago pela contribuição dos jogadores, sem que nenhum fosse excluído do rateio. Porém concretizar a ideia do bandeirão não foi tão fácil.

 

Torcedores do Cruzeiro estendem bandeira durante vitória sobre o Goiás"Nós tivemos uma reunião neste ano e eu tive a visão de um bandeirão. Levei isso a sério e colocamos para os atletas e eles gostaram. Todos eles. Não ficou nem um fora. Isso é muito lindo. É muito unido. Não tem quem fique fora. E não é religião, é essência de vida. A gente agradece por tudo que Deus faz. A gente fez a camisa igual a do bandeirão e outra também, se ganhasse ou perdesse, não importaria. É uma fé muito grande, uma conexão enorme. O que Deus tem feito no Cruzeiro não se explica. Para a gente trazer o bandeirão aqui hoje foi muito difícil. Todo mundo junto. A diretoria do Cruzeiro, a Minas Arena, todo mundo. Foi difícil", disse Sandra Maciel, mulher do goleiro Fábio.

"A gente precisava da torcida para abrir o bandeirão. E eu falei com o menino da Máfia Azul, o Quick [presidente da torcida], que os meninos queriam muito essa bandeira. E ele topou na mesma hora. E durante o processo, as rezas também eram assim. E aí combinaram o seguinte com os jogadores: para levantar na hora de entrar, na hora que sair gol e no final, se campeão. Choveu muito, escorreu muita tinta. Mas deu certo. As esposas se uniram muito hoje", completou.

Torcedores do Cruzeiro estendem bandeira durante vitória sobre o GoiásOração e apoio
Esta grande corrente de fé e orações teve início no ano passado, quando o Cruzeiro perdeu para o Flamengo, na Copa do Brasil.

"Começou depois da Copa do Brasil, quando fomos eliminados lá no Rio, para o Flamengo, no finalzinho, e as esposas viram os maridos muito tristes e resolveram se unir. A gente se encontrou e se perguntou o que podíamos fazer por ele? 'Vamos orar'. A gente começou a se reunir toda semana, temos um grupo com todas as esposas. Oramos pela vida deles, fortalecendo o físico, o emocional, livrando de lesões", disse Sandra.

Desde então, os encontros tornaram-se parte do cotidiano destas mulheres.

"Não paramos nunca com isso, nem no fim do ano passado. Oramos por contratações também. As esposas se reúnem e eles também têm o grupo deles de oração. A gente tem o 'Relógio da Oração', quando cada esposa tem sua hora para orar. A gente vira 24 horas orando, na véspera do jogo. E não é para a vitória, é para acrescentar o que Deus tiver que acrescentar", contou.

Desde a derrota para o Flamento até o final deste domingo, 95 jogos realizaram-se, o que contou com mais de 2280 horas de oração, dentro do esquema de revezamento.

"Na véspera de jogo a gente começa 24 horas antes a orar. A gente se divide para não passar nenhum momento do dia sem orar. Cada uma fica meia hora, por exemplo. Tem de acordar de madrugada e rezar", disse.

Como havia uma mensagem religiosa, o processo de liberação do bandeirão foi burocrático, mas acabou dando certo, premiado com a vitória do tetra.

Com informações da ESPN

veja também