Bíblia de Gutenberg é avaliada em torno de US$300 milhões e doada a uma universidade, nos EUA

A generosa doação foi feita à Universidade, junto a diversos outros documentos históricos, por um ex-aluno.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 23 Fevereiro de 2015 as 1:37

A Bíblia de Gutenberg foi avaliada em torno de 300 milhões de dólares e atualmente só tem 48 exemplares originais em todo o mundo.
A Bíblia de Gutenberg foi avaliada em torno de 300 milhões de dólares e atualmente só tem 48 exemplares originais em todo o mundo.

Uma universidade de Princeton (EUA) recebeu uma doação de livros e manuscritos raros, incluindo a Bíblia de Gutenberg, que foi impressa em torno de 1445 (D.C). Com seu valor estimado em aproximadamente 300 milhões de dólares, o livro é o maior presente já entregue à universidade, em toda a sua história.

A universidade "Ivy League" recebeu o presente do músico, musicólogo (estudioso), bibliófilo e filântropo William H. Scheide, um ex-aluno, que se formou pela instituição em 1936 da e faleceu em novembro de 2014, aos 100 anos.

"Através da generosidade de Bill Scheide, uma das maiores coleções de livros e manuscritos raros no mundo de hoje terá um lar permanente aqui", disse o presidente da Universidade, Christopher L. Eisgruber.

A Bíblia de Gutenberg foi impressa na cidade alemã de Mainz (ou Mangúcia, em português), no ano de 1455 (ou 1456), e foi o primeiro livro substancial a ser impresso a partir de tipos móveis na Europa. Hoje, existem apenas 48 exemplares desta histórica edição, alguns dos quais estão nas universidades norte-americanas de Harvard e Yale, na Livraria Pública de Nova York, na Biblioteca do Congresso (EUA) e na "Morgan Library & Museum", em Nova York, de acordo com a Bloomberg.

"Estas obras (manuscritos) vão ficar como uma coleção de definição para a Biblioteca de Firestone e da Universidade de Princeton", Eisgruber acrescentou. "Eu não posso imaginar uma coleção facinante que esta para servir como o coração da nossa biblioteca. Estamos gratos pela dedicação eterna de Bill Scheide, de Princeton e seu compromisso de compartilhar sua coleção de tirar o fôlego com acadêmicos e estudantes para as gerações vindouras."

A coleção inclui a impressão original da Declaração da Independência; um autógrafo de Beethoven (de próprio punho) em um bloco de desenho de partituras de 1815 / 16; impressões dos primeiros trabalhos de Shakespeare; manuscritos de músicas conhecidas com autógrafos de de Bach, Mozart, Schubert e Wagner; um discurso autografado por Abraham Lincoln, de 1856 sobre os problemas da escravidão; e livros com cópias das cartes do general Ulysses S. Grant, sobre últimas semanas da Guerra Civil.

A Biblioteca de Scheide estava alojada na biblioteca Firestone, de Princeton desde 1959, quando se mudou de sua cidade natal de Titusville, Pensilvânia.

"A generosidade de Bill era lendária", disse a bibliotecário da Universidade, Karin Trainer em um comunicado. "Ele também era generoso com sua biblioteca".

Ela também disse que "verdadeiro valor" da Biblioteca Scheide é o apoio que presta aos programas acadêmicos da universidade.

"Na sua essência, a Biblioteca de Scheide é a mais rica entre as coleções dos primeiros documentos impressos no século 15, na Europa", disse Anthony Grafton, professor de história da Universidade de Henry Putnam, em Princeton. "Mas seus livros magníficos e manuscritos iluminam muitas áreas, desde a impressão da Bíblia até as maneiras pelas quais os grandes compositores criaram suas músicas".

veja também