Boxeador cristão doa 150 casas para famílias necessitadas e diz: "Agradeçam a Deus"

Aos 36 anos, o pugilista filipino Manny Pacquiao se aproxima de sua aposentadoria e decidiu investir dinheiro do próprio bolso para construir 150 casas para famílias desabrigadas em seu país.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 22 Dezembro de 2015 as 5:47

Em vez de se preocupar com quanto dinheiro ele ainda pode ganhar para sua próxima luta, o pugilista filipino Manny Pacquiao está gastando seu próprio dinheiro para construir centenas de casas para famílias desabrigadas em seu país de origem.

Aos 36 anos de idade, o atleta que fez história no boxe internacional, agora poderá ser eleito senador nas Filipinas e está dando 150 casas para famílias desabrigadas na vila de Bales, cidade de Maasim, onde ele serve como um congressista. Pacquiao teria gasto cerca de 604 mil dólares de seu próprio dinheiro no projeto, conhecido como 'Pacman Village', e deu 'glória a Deus' pela entrega das casas.

"Dê graças a Deus por aquilo que você recebeu hoje. É um presente de Deus", disse Pacquiao em um relatório da PhilBoxing.com. "Ele [Deus] está apenas me usando para ajudá-los. Cuide bem das propriedades de você e não as vendam".

Enquanto as 150 unidades estão previstas para ficarem prontas já no próximo mês de fevereiro (2016), Pacquiao planeja construir um total de 600 unidades no futuro.

"Ainda há muitos espaços aqui, onde podemos construir mais casas. Meu objetivo é um total de 600 unidades habitacionais para acomodar mais moradores desabrigados aqui", disse Pacquiao.

Tino Alcala, presidente da aldeia de Bales, falou bastante sobre Pacquiao, por ser um congressista que usa seus próprios recursos para ajudar os moradores da área atingida pela pobreza.

"Este é o tipo de líder que estamos procurando. Ao contrário de outros congressistas, que desapareceram e já não podiam ser vistos após a eleição. Pacquiao está sempre aparecendo, cada vez que precisamos dele", disse Alcala no relatório. "Pacquiao nos faz sentir que o governo pode cuidar bem de nós".

Com as eleições de 2016 se aproximando rapidamente, Pacquiao está lembrando o seu povo que eles precisam estar conscientes do características importantes para serem procuradas nos candidatos.

"Votem em candidatos que sejam competentes e tenham um bom coração. O futuro do país depende do tipo de líderes que escolhemos", disse Pacquiao. "Vocês devem estar orgulhoso de mim como seu congressista. Eu não roubo dinheiro do governo, na verdade, eu estou gastando meus próprios recursos para ajudá-los. Eu também não negocio os meus princípios nem o meu voto no Congresso".

No início deste ano, Bob Arum, fundador famoso e CEO da renomada empresa de promoções de boxe 'Top Rank', revelou que Pacquiao iria se aposentar no próximo ano (2016), para que ele pudesse se concentrar em seus deveres políticos em seu país.

"Nós conversamos muito a sério, e ele disse: 'Bob, esperançosamente, em meados de maio eu serei eleito senador nas Filipinas, e naquele momento eu não poderei me envolver mais com o boxe, porque eu preciso me focar no Senado e eu tenho que estar presente", disse Arum citando o boxeador para a ESPN. "Manny me que disse esta luta em 9 de abril será sua última luta".

Enquanto Pacquiao atualmente serve como um congressista para a província Sarangani, nas Filipinas, ele provavelmente ficarrá longe de casa para se concentrar no boxe e outros empreendimentos. No entanto Arum disse que é importante para Pacquiao, estar fisicamente presente na próxima etapa de sua jornada política.

"Há centenas de congressistas, mas se ele ganhar a vaga no Senado, ele tem que estar lá para fazer o trabalho. Eles fazem o trabalho real no Senado, nas Filipinas, e não apenas um monte de discursos como fazem no Congresso", disse Arum à ESPN. "É um trabalho de verdade, e se Manny realmente quer ser eleito presidente do país, estes seis anos no Senado seriam como uma audição para ele mostrar a seu povo que ele realmente é um político sério".

No início deste ano, Pacquiao disse ao 'Christian Post' por que ele é tão apaixonado sobre o seu envolvimento na política do seu país.

"Eu quero oferecer oportunidades para os meus compatriotas, que irão melhorar suas situações. Como político, eu quero ajudar a criar postos de trabalho para que eu possa levá-los para fora de sua situação de pobreza", disse Pacquiao CP. "Eu quero dar-lhes esperança. O Boxe tem sido a minha paixão, mas o serviço público é a minha vocação. Eu amo meu esporte, mas agora percebo que a minha vida não se resume a ele".

veja também