Budistas tentam formar guerra civil no Sri Lanka

A Comissão Asiática de Direitos Humanos tem fornecido as informações sobre o processo no mês de janeiro, além disso, Gnanasara Thera, o monge budista, foi detido.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Terça-feira, 1 Março de 2016 as 10:38

Reprodução
Reprodução

Perseguição aos “heróis de guerra”. Essa foi a acusação do líder do grupo budista extremista Bodu Bala Sena que participou de um processo judicial para acusar o tribunal e o governo sobre a suporta perseguição. A Comissão Asiática de Direitos Humanos tem fornecido as informações sobre o processo no mês de janeiro, além disso, Gnanasara Thera, o monge budista, foi detido.

"Durante as eleições do ano passado, os grupos budistas radicais permaneceram em silêncio, mas agora eles estão fazendo barulho e tentando agitar uma guerra civil no país", comenta um dos analistas de perseguição.

O monge foi acusado de desacatar as autoridades no tribunal após interromper o processo judicial. Ele acabou recebendo uma advertência, mas mesmo assim não parou com suas acusações. O próprio monge se entregou às autoridades logo após o mandado de prisão ser emitido. Isso aconteceu no dia seguinte.

Segundo informações da imprensa local, existe o risco de que ele tente se posicionar como um mártir entre os budistas. "É possível até que os seus apoiadores intensifiquem os esforços para atacar as minorias religiosas, como cristãos e muçulmanos. Isso é previsível, principalmente para os seguidores do cristianismo", afirma o analista.

Por mais que o Sri Lanka não esteja na Classificação da Perseguição Religiosa em 2016, em 2014 ele ocupou a 29ª posição, mas acabou caindo para 44º em 2015. Isso não deve ser visto como uma grande melhoria da situação da minoria cristã. O motivo disso é devido ao fato de que, em vários países, em especial na região africana, a situação piorou e alterou a posição do Sri Lanka no ranking.

Ainda assim, o número de cristãos continua crescendo e, inclusive, o ministério infantil tem tido ênfase, através de irmãos que são chamados para servir no Reino de Deus, evangelizando os pequenos cingaleses.

Estado das crianças

Em Hambatota, província do Sul do Sri Lanka, crianças da Casa Abrigo Visão Ágape foram arrancadas de suas casas numa ação de extremistas budistas junto ao governo. Isso aconteceu há dois anos. Elas estavam abrigadas e sendo cuidadas por um casal guardião, irmão Dayaratne e irmã Mala, o qual eram chamados de Thaatha (pai) e Amma (mãe). Atualmente, elas estão praticamente abandonadas nas ruas. Outras delas voltaram para suas famílias que as tratavam com violência.

veja também