Cem mil estudantes irão levar Bíblias para escola em defesa da liberdade religiosa nos EUA

O grupo cristão Focus on the Family lançou a campanha "Dia Traga Sua Bíblia Para A Escola".

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 14 Outubro de 2015 as 10:52

Enquanto o cristianismo tem se tornando cada vez mais um tabu, os estudos islâmicos vêm sendo adotados nas escolas públicas. (Foto: Flickr/Chris Yarzab)
Enquanto o cristianismo tem se tornando cada vez mais um tabu, os estudos islâmicos vêm sendo adotados nas escolas públicas. (Foto: Flickr/Chris Yarzab)

A educação norte-americana está vivendo uma alarmante revolução religiosa — enquanto o cristianismo tem se tornando cada vez mais um tabu, os estudos islâmicos vêm sendo adotados nas escolas públicas.

Diante disso por isso, um grupo cristão resolveu propagar sua fé e incentivar cerca de 100 mil alunos a fazer o mesmo. Focus on the Family (Foco na Família, em tradução literal) lançou a campanha "Dia Traga Sua Bíblia Para A Escola", para defender a liberdade religiosa protegida pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

"Ouvimos muitos estudantes querendo ser abertos sobre sua fé e exercer a liberdade religiosa na escola, mas não sei se eles estão autorizados para fazer isso", disse Gazette Gaston, analista de educação do grupo Focus.

"Quando nós informamos que eles não têm que esconder suas crenças, eles se sentem habilitados a fazer o que sempre tiveram em seus corações: trazer suas Bíblias para a escola e usar seu tempo livre para viver publicamente a sua fé", disse ela. "É por isso que este evento golpeia uma corda. No ano passado, cerca de 8 mil estudantes participaram e, este ano, esperamos que esse número cresça exponencialmente."

A banda cristã Newsboys, conhecida internacionalmente, também se juntou ao grupo para apoiar a campanha. Na última quinta-feira (8), foi lançada uma divulgação especial nas redes sociais para engajar os estudantes.

Oposição

Apesar das boas intenções por trás do "Dia Traga Sua Bíblia Para Escola", nem todos ficaram felizes com o evento. Quando o Distrito Escolar de Folsom Cordova, na Califórnia, avisou sobre o evento para as famílias de seus 20 mil alunos por e-mail, foram inundados de reclamações.

"A religião deve ser ensinada em casa, com a sua igreja ou no local onde sua crença vai, mas suas crenças devem ser separadas do sistema de escola pública," disse o pai Al Ernst à KCRA.

Já o Conselho de Relações Comunitárias Judaicas Sacramento manifestou que o evento irá "influenciar" crianças de outras religiões.

veja também