Cerca de 120 estudantes cristãos estrangeiros podem ser deportados dos EUA

Apesar da possível revisão na política de imigração dos Estados Unidos, os alunos enfrentam tal situação pelo fato de a escola ter sua recadastro no sistema de intercâmbio estudantil negado.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Sexta-feira, 21 Novembro de 2014 as 9:59

Cerca de 120 estudantes cristãos estrangeiros podem ser deportados dos EUAAproximadamente 120 estudantes estrangeiros matriculados em uma escola bíblica de Ohio (EUA) podem ser deportados do país. O motivo seria o fato de a escola ter seu certificado com o programa de intercâmbio estudantil de imigração dos Estados Unidos recentemente negado.

Apesar das novas decisões sobre uma revisão da política de imigração que poderia permitir que cerca de 5 milhões de imigrantes ilegais permaneçam no país, os 120 estudantes cristãos estrangeiros do Marietta Bible College estão nesta situação após o sistema de imigração ter se recusado a emitir para a escola, a recertificação do programa estudantil para alunos estrangeiros.

Ao fazer isso, os estudantes estrangeiros da escola devem encontrar uma nova escola para se transferir ou eles terão de enfrentar a deportação a partir de fevereiro de 2015. Além disso, a faculdade não pode mais aceitar novas matrículas de estudantes que não tenham cidadania americana.

De acordo com um relatório de uma afiliada local da NBC Ohio, o presidente da escola, pastor Myron Guiler, disse que a instituição foi notificada durante o verão (meio do ano) que a associação de credenciamento à qual a faculdade tinha sido filiada não estava mais credenciada no programa de imigração.

"Fomos notificados no verão e tentamos tomar providências sobre isso, mas eles nos disseram não procurarmos nos juntar a uma outra associação de credenciamento naquele momento", disse Guiler.

Após o colégio ter sido notificado de que sua associação de credenciamento foi descredenciada, Guiler disse que um oficial de imigração dos EUA visitou a escola e seus funcionários, afirmando que a instituição precisava fornecer três informações cruciais para manter a sua certificação.

A escola, que foi inaugurada em 1977, teve que encontrar três instituições com credenciamento que aceitariam seus créditos, fornecer uma declaração que indique que a escola é, de fato, um ministério da igreja, e um relatório financeiro detalhado.

Guiler relatou que, mesmo a escola fornecendo todas as informações solicitadas dentro do prazo especificado pelo oficial que visitou a instituição, eles ainda tiveram sua recertificação negada.

"Nós demos a ele o que ele nos pediu. Ele disse que o prazo não era até 01 de novembro, mas no dia 24 de outubro fomos notificados de que fomos retirados do programa", disse.

Embora Guiler afirme que os funcionários da escola apresentaram as informações solicitadas no momento, um representante do Programa de Intercâmbio Estudantil disse à afiliada da NBC que a escola Marietta Bible College não apresentar as informações solicitadas.

A escola contratou advogados de imigração que vão ajudar a tentar obter sua reintegração ao programa de intercâmbio.

"Fomos para Cleveland e contratamos advogados de imigração e eles têm juntos um pacote solicitando que sejamos reintegrados. Está agora nas mãos de imigração", Guiler afirmou. "Eles têm de tomar a decisão."

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também