A Chuva do Avivamento que está caindo sobre o Brasil

Uma nuvem incomum literalmente pairou sobre o local onde foi realizada a Escola Profética: Unção de Elias, Porção Dobrada, liderada pelo Apóstolo Joel Engel, em Santa Maria (RS) nos dias 6 e 7 de setembro.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 10 Setembro de 2014 as 1:42

A Chuva do Avivamento que está caindo sobre o BrasilEvan Roberts, líder do avivamento de Gales, profetizou a pouco mais de cem anos: “O mundo será varrido pelo Espírito Santo, como por um vento forte e poderoso, trazendo a chuva do avivamento”.

Uma nuvem incomum literalmente pairou sobre o local onde foi realizada a Escola Profética: Unção de Elias, Porção Dobrada, liderada pelo Apóstolo Joel Engel, em Santa Maria (RS) nos dias 6 e 7 de setembro. Durante as ministrações, a unção veio como uma chuva tão poderosa que muitos não podiam sequer manter-se em pé. Uma ação torrencial do Espírito Santo inundou o lugar, tocando centenas de pessoas que vieram de várias partes, dentro e fora país, sedentos por beberem das águas do avivamento. O evento reuniu 49 denominações, de mais de 100 cidades, e foi assistido por aproximadamente 70 nações, dentre elas Irlanda, Portugal, Moçambique, Tailândia, Itália, Estados Unidos e Canadá. Algo sobrenatural irrompeu naquele lugar. Dezenas de testemunhos não param de chegar, revelando como essas águas também alcançaram aqueles que assistiram ao vivo a Escola Profética, atingindo poderosamente suas vidas com a mesma força avassaladora. Algo inédito na história.

Apóstolo Joel Engel tem estado à frente de um movimento de oração ininterrupta que já dura 25 anos. Ele concluiu um milhão de horas de oração e adoração, que mobilizou centenas de cristãos de várias regiões do globo,  culminando com a Escola Profética. Diversos historiadores relatam que momentos como estes sempre ocorreram às vésperas de grandes avivamentos. Martyn Lloyd-Jones conta que avivalistas como John Wesley, George Whitefield, Jonathan Edwards, D. L. Moddy, William Booth e Evan Roberts experimentaram grandes visitações do céu em suas reuniões, decorrentes da oração perseverante. O que se passou em Santa Maria é apenas a ponta do iceberg, de algo muito maior que está para emergir em nosso país. Trata-se apenas de uma expressão visível de uma poderosa mobilização de oração e jejum que está formando a nuvem do maior avivamento de todos os tempos.

Nestes dois dias houve demonstrações tão tangíveis da unção, que levaram inúmeros líderes, que se encontravam presentes e on line, a nocaute. Eles ficaram prostrados com centenas de participantes, em lágrimas, eletrificados pela presença maravilhosa do Espírito Santo, à semelhança do que se deu durante avivamentos do País de Gales e da Rua Azusa, em Los Angeles. Juntos, promoveram mais de 600 milhões de convertidos. Tommy Barnett diz que o rio de Deus que jorrou no interior de Gales, por exemplo,  agregou cerca de cem mil novos convertidos às igrejas em apenas seis meses, e depois deslocou-se rapidamente inundando todos os Continentes. “Curas, visões, sinais e, maravilhas tais descritas no livro de Atos foram testemunhadas em todo o avivamento”.  O Apóstolo Joel Engel proclamou a chegada de um avivamento de maiores dimensões para a nossa nação, que trará mudanças tão profundas quanto aquelas que  aconteceram nos dias do profeta Elias.

Engel testemunhou como tem havido a cura sobrenatural da seca em várias regiões do país em resposta à oração e à palavra profética liberada por ele, a semelhança do que ocorreu com Elias. A chuva tem mudado a paisagem econômica destes lugares, como uma proclamação do que fará a “chuva do avivamento” no solo dos nossos corações. Ele salientou que as transformações geradas no ministério de Elias, foram promovidas por uma pregação profética confrontadora e pelo estilo de vida do profeta. Com isso, Engel denunciou o caudilhismo denominacionalista e a comercialização da fé, e convocou os líderes a retornarem aos princípios ministeriais apresentados na Bíblia Sagrada.

Presenciei nestes dois dias, uma mensagem genuinamente bíblica, marcada pela demonstração de poder do Espírito Santo na vida do homem de Deus, despojado, e com um chamado veemente ao arrependimento, à santidade em todos os níveis, e um retorno à verdadeira adoração. Uma vida marcada por uma grande paixão pelo Senhor, que o leva a separar semanas inteiras em oração, jejum e adoração, em retiro a sós com o Senhor no monte.

A Escola Profética levou-nos ao entendimento de que somos verdadeiramente a geração do avivamento. Ensinou que o segredo para termos os céus abertos está numa vida de intimidade com Deus e no anseio por mais da Sua Presença. É como estar enamorado do coração de Deus. Engel pregou que podemos ter a porção dobrada, hoje. “Um orando, e orando pelo outro já começa dobrar, multiplicar. A questão não é ter alguém para ser como Eliseu, mas ter alguém que seja como pai para conduzir Eliseu no caminho que deve seguir. Estamos vivendo dias em que as lideranças estão contaminadas. Onde estão os profetas? Quais os líderes que Jesus pode contar? O teste do Eliseu começa aqui. Ele foi o melhor, discípulo, amigo, servo de Elias. Até onde você quer ir?” “Você precisa estar disposto a entregar tudo”, como fez Eliseu. “Manter-se fiel ao seu pastor, honrá-lo, honrar sua família, seus pais”. “Ofertar na vida do seu líder”. “Precisamos ir aonde ninguém foi, fazer o que ninguém fez, amar como ninguém amou, experimentar o que ninguém experimentar”, declarou o apóstolo. “Ser como Eliseu que disse a Elias: faça-me teu filho”. E, “subir para quatro níveis: boi, homem, leão e águia”. E, então, Senhor nos abençoará com a “Parnassá”, assim como fez com Abraão: “a bênção que vem do céu e passa para os nossos filhos”. 

O grande teólogo George Eldon Ladd, comenta que a pregação autêntica da Palavra de Deus com autoridade e poder foi o traço marcante no ministério apostólico descrito no livro de Atos, que provocou o avivamento que alcançou o mundo daquela época, em pouco tempo. Ladd explica que os apóstolos pregaram o Kerygma, a mensagem cristocêntrica, aliada à demonstração do poder do Espírito Santo. Munidos de uma ousadia incomum, eles anunciaram destemidamente um Cristianismo revolucionário que transformou a vida de milhões de pessoas, juntamente com a sua cultura.

Não é este o avivamento de que necessitamos desesperadamente em nossa nação? Necessitamos de algo que vá muito além de uma reforma da performance religiosa, da cenografia comportamental e da adoção de vocabulário eclesiástico. Algo que afete a intimidade da família, os bastidores dos nossos púlpitos, e que cure nossos relacionamentos entre irmãos. Que restaure a paternidade no meio da nossa liderança, resgate a ética neotestamentária em nossos arraiais. E, que alcance o subsolo das motivações do nosso coração por trás dos nossos cultos, e drene de lá o espírito religioso que impede o fluir da água cristalina da verdadeira adoração. Um avivamento que traga intimidade autêntica com o Senhor. O grande avivamento descrito em Atos convulsionou a estrutura religiosa, e confrontou as estruturas da iniquidade do sistema mundano daquele tempo.

“O avivamento virá como a chuva inundou a terra nos dias de Elias”.  Joel Engel

Bibliografia
BARNETT, Tommy. Multiplicação. CPAD, RJ, 1999.
LADD, George Eldon. Teologia do Novo Testamento. Agnus, SP, 2001.
LLOYD-JONES, Martyn. Avivamento. PES, SP, 2001.
MELO, Edino. Fogo do avivamento da Rua Azusa. Campinas, 2012.

Por Édino Melo - Pastor, conferencista internacional e autor de 100 livros.

 

veja também