Cientista criacionista questiona retirada de incentivos fiscais a projeto inspirado na Arca de Noé

Ken Ham afirmou que as razões que levaram à decisão do governo de Kentucky são "desconcertantes" para uma organização assumidamente religiosa.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 16 Dezembro de 2014 as 12:06

Cientista criacionista questiona retirada de incentivos fiscais a projeto inspirado na Arca de NoéPresidente do projeto "Answers in Genesis" ("Respostas no Gênesis"), o cientista criacionista Ken Ham afirmou que as novas condições estabelecidas pelo Estado de Kentucky sobre projeto do parque inspirado na Arca de Noé, "Ark Encounter", que proíbem a preferência religiosa na contratação são ilegais. Ele também criticou a cobertura da mídia, que afirmou que sua organização pediu dinheiro ao governo para construir o empreendimento.

"As novas condições do Estado, são claramente ilegais. Podemos citar as leis federais e estaduais que permitem a preferência religiosa na contratação, como o ato 1964 dos direitos civis. É por isso que os grupos ateus podem e fazem discriminações em sua contratação", disse Ham em uma mensagem de vídeo.

Ele acrescentou que o Estado de Kentucky tinha aprovado primeiro um incentivo para realizar os planos de sua organização, de construir uma réplica em tamanho real da Arca de Noé, mas, por pressão dos grupos ateus, o Estado acrescentou condições, afirmando que o "Answers in Genesis" não pode mostrar preferência religiosa em sua contratação.

"O Estado concedeu a sua aprovação preliminar para o incentivo. Só depois os grupos ateus publicamente atacaram a aprovação preliminar do Estado", afirmou.

Relatos da mídia na semana passada apontaram que o governo de Kentucky tinha retirado US$ 18 milhões em incentivos fiscais antes oferecidos ao Projeto "Ark Ecounter", mas Ham, queCientista criacionista questiona retirada de incentivos fiscais a projeto inspirado na Arca de Noé também é o presidente do Museu da Criação nos EUA, advertiu que existe uma grande quantidade de informações falsas que estão se espalhando sobre este assunto.

"Nós não estávamos pedindo o Estado qualquer quantia de dinheiro para construir o 'Ark Encounter", disse Ham.

"O AIG tinha preenchido um formulário para um possível reembolso do imposto sobre as vendas que seriam cobradas com relação ao projeto", ele esclareceu.

Ham acrescentou que o desconto de imposto teria sido usado para compensar alguns dos custos de desenvolvimento ao longo do tempo.

Ele também explicou no vídeo que os funcionários estaduais estavam plenamente conscientes desde o início que a AIG estava buscando para defender os seus direitos como uma organização religiosa. Ele observou que seu grupo deixou isso claro, juntamente com sua subsidiária Crosswater Canyon, que tem a propriedade exclusiva sobre o projeto.

"O AIG como uma organização religiosa tem o direito legal de contratar pessoas que areditam em nossa fé cristã", sustentou Ham.

Ele também informou que a decisão de Kentucky de impor condições de contratação do projeto deve ser desconcertante para todas as organizações religiosas nos EUA, que procuram salvaguardar os seus direitos.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também