Cientista cristão nega que haja vida em outros planetas: "Somente a Terra foi criada para isso"

O cientista norte-americano, Ken Ham respondeu a um estudo feito pela NASA, no qual cientistas sugeriram que há 2 bilhões de anos, Vênus poderia ter condições de abrigar vida, assim como a Terra nos dias atuais.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sábado, 27 Agosto de 2016 as 10:40

Ken Ham é um cientista cristão e segue a linha do criacionismo. (Foto: Salon)
Ken Ham é um cientista cristão e segue a linha do criacionismo. (Foto: Salon)

Depois de várias universidades e institutos de ciência sugerirem no início de agosto que bilhões de anos atrás, Venus pode ter condições para a existência de vida - muito semelhantes à Terra - o cientistia cristão e criacionista, Ken Ham argumentou que a Bíblia mostra que Deus criou a vida apenas na Terra.

"Quando começamos com a Palavra de Deus, temos uma interpretação totalmente diferente a respeito de Vênus. Nosso Criador concebeu Venus no Quarto Dia da Semana da Criação apenas, alguns milhares de anos atrás. Sabendo que a Terra - e não Venus ou qualquer outro planeta - foi projetada para ser habitada (Isaías 45:18), o nosso pressuposto implica que não se esperaria encontrar vida em Vênus no passado ou no presente", argumentou Ham em um post de seu blog, 'Respostas em Gênesis'.

"Isso é totalmente diferente da expectativa da evolução, mas a diferença não está nas evidências. A diferença está na visão de mundo e pressupostos das pessoas para interpretarem as provas", explicou.

As declarações de Ham surgiram como resposta a uma pesquisa recentemente realizada pela NASA, nas universidades de Uppsala, de Columbia e no Instituto de Ciência Planetária, que sugeriu que em um momento de seu passado, Vênus pode ter dado condições para o desenvolvimento da vida, de modo muito semelhante à Terra.

Os cientistas fizeram várias simulações, usando os mesmos modelos climáticos da Terra para Venus, mapeando sua possível história para 2 bilhões de anos atrás.

Embora seja hoje um planeta extremamente quente com atividade vulcânica e uma atmosfera baseada em dióxido de carbono, os modelos partiam do pressuposto que até 715 milhões de anos atrás, as temperaturas o planeta vizinho à Terra pode ter tido temperaturas baixas o suficiente para suportar vida e poderia até mesmo ter tido oceanos rasos.

As simulações não explicaram o que poderia ter contribuído para as mudanças dramáticas em Venus, segundo relatos do site científico 'Phys.org', mas os cientistas sugeriram que a velocidade com que o planeta girou sobre seu eixo pode ter contribuído para a ascensão rápida temperaturas.

Atualmente, as temperaturas elevadas do planeta Venus impossibilitam que haja vida de modo semelhante à Terra. (Imagem: Nasa)

Ham, que também é o presidente e fundador do Museu Criacionista 'Ark Encounter' ('Encontro da Arca'), disse em seu blog que todas essas simulações são baseadas apenas em suposições.

"Eles afirmam que Venus tem bilhões de anos de idade. Eles afirmam que era parecido com a Terra em um passado distante. Eles sugeriram a topografia de Venus. Eles sugeriram que o planeta tinha mares rasos. Eles afirmaram tudo em cima de suposições em cima de suposições", escreveu o criacionista.

Ele disse ainda que os pesquisadores estão fazendo uso da 'ciência histórica', mas a 'ciência de observação' também é necessáriA para determinar como as coisas funcionam nos dias atuais.

"Os cientistas evolucionistas fazem todos os tipos de especulações, baseando-se em suposições infundadas sobre o passado e chamando isso de 'ciência'. Eles ensinam estas crenças de bom grado em salas de aula nas escolas públicas. Mas quando um cristão afirma que o universo e a vida são o resultado de um Criador, isto é rotulado como religião e não tem permissão para ser ensinado nas aulas de ciência", escreveu Ham.

"A ciência observacional ainda confirma que a vida e o universo (incluindo as leis da natureza) não poderiam vir por processos naturais! Essencialmente, ateus estão impondo sua ideologia em escolas públicas", alertou.

Ham acusou a comunidade científica de continuar sua busca para encontrar vida alienígena para que os seres humanos não se sintam tão sozinhos no universo, mas argumentou que Deus é tudo o que as pessoas precisam.

"Nós não estamos sozinhos no universo. Estamos sempre acompanhados (Atos 17:25) por Aquele que criou e sustenta o universo. (Hebreus 1: 3). Em vez de procurar por 'clone' da Terra e vida alienígena inteligente, estes pesquisadores devem procurar o Criador que os ama e morreu por eles", escreveu Ham em outro post de maio.

veja também