Cientistas cristãos podem ajudar cadeirantes a voltar a andar: "Oramos por soluções"

O instituto 'Genesis Robotics', do Canadá, está investindo na criação de um dispositivo que pode servir como um 'exoesqueleto' mais maleável para ajudar cadeirantes a andar.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 20 Abril de 2017 as 9:14

Cientistas testam parte de exoesqueleto em cadeirante. (Foto: EPA)
Cientistas testam parte de exoesqueleto em cadeirante. (Foto: EPA)

Inventores e cientistas cristãos do Canadá desenvolveram um novo dispositivo que não só irá revolucionar a indústria de robótica, mas também ajudará as pessoas com deficiência a andar novamente.

O instituto Genesis Robotics, com sede em Vancouver, co-fundado pelo empresário cristão Michael Gibney e pelo inventor e cientista James Klassen, desenvolveu um atuador de unidade direta chamado 'LiveDrive', um dispositivo que procura resolver o principal problema que tem significado o maior desafio para a robótica atual.

"O que eles estão esperando é o atuador de acionamento direto - que é um motor elétrico não-orientado - e é precisamente isso que criamos", disse Gibney, o presidente da empresa, em uma entrevista para o 'Christian Post'.

"Os motores de acionamento diretos anteriores nunca foram capazes de atender às necessidades do mundo da robótica, mas como o nosso é mais de três vezes mais forte do que qualquer outro motor de transmissão direta já visto, nós apostamos na adoção generalizada da indústria", acrescentou.

O empresário cristão acrescentou que o novo dispositivo também manutenção mais fácil, o que pode ser outro atrativo do produto no mercado.

"O nosso oferece o mesmo torque sem as engrenagens e sem o óleo, tornando-o muito mais preciso e fácil de manter", explicou. "Você não tem aquele óleo todo para lidar com durante a montagem e manutenção de rotina".

De acordo com Gibney, a 'Genesis Advanced Technology' (empresa-mãe do 'Genesis Robotics'), que registrou mais de uma dúzia de patentes em sua história de sete anos e meio, começou com a missão de desenvolver tecnologias para resolver alguns dos desafios enfrentados pela mundo atual. Suas patentes têm abrangido uma variedade de campos, incluindo petróleo e gás, energia limpa, desempenho humano e robótica.


Deus no comando
Falando sobre a criação da empresa, Gibney disse que o nome "Gênesis" tem um significado especial, pois expresa a fé destes inventores e cientistas.

"Nós chamamos o grupo de Gênesis porque Deus está no início de cada invenção", explicou Gibney. "Se precisamos de uma solução, eu, James e outros cristãos da equipe oramos por isso. Às vezes, Deus responde na forma de um insight extra ou com o timing perfeito, apontando para a solução. Outras vezes, é na forma de imagens, usando as mãos dos engenheiros para desenharem a próxima versão da tecnologia".

"Dissemos desde o início que queríamos ser chamados de Gênesis, porque foi o livro na Bíblia, onde Deus criou a luz em meio às trevas", continuou Gibney. "Nosso logotipo se apresenta que com um fundo de escuridão e o 'G' é a luz".

Cerca de dois anos e meio atrás, Gibney e a equipe da Genesis Robotics decidiram que a empresa precisava se concentrar no desenvolvimento de uma de suas tecnologias e colocá-la no mercado. A empresa optou por desenvolver o 'LiveDrive', que abrange uma variedade de aplicações e pode ser produzido em vários tamanhos, dependendo da aplicação.

"Nos últimos dois anos e meio, arrecadamos US$ 28 milhões e agora provavelmente temos uma das tecnologias mais revolucionárias da Terra - e eu não acho que isso seja um exagero quando você souber o que ela pode fazer", disse Gibney.


Parcerias entre irmãos
Precisando de fundos para ajudar a desenvolver o 'LiveDrive', Gibney pediu a ajuda de três de seus amigos cristãos, que investiram esse dinheiro para financiar totalmente o programa de desenvolvimento do dispositivo.

Esses três homens são Bruce Johnston, o fundador do rancho JH na Califórnia e do ministério Outback America; Jesse May, co-fundador da agora comprada empresa de tecnologia militar Chandler / May Inc.; E Reg Allatt, o co-fundador de um provedor canadense de seguros de saúde.

"Todos eles são cristãos piedosos, não teríamos sequer considerado o contrário", disse Gibney sobre os três investidores. "Nós tivemos ofertas de empresas de capital de risco que recusamos. Mas esses homens, eu conheço seus planos e estão comprometidos em usar isso para o Reino de Deus".

Embora existam inúmeras aplicações nas quais o LiveDrive poderia ser usado, Gibney disse que o que é mais emocionante para a equipe em Genesis Robotics é como ele pode ser usado para a saúde e mobilidade de portadores de deficiência física.

"Escolhemos o LiveDrive porque acreditávamos que, quando conseguíssemos, veríamos pessoas caminhando com exoesqueletos", disse Gibney. "Se você olhar para os exoesqueletos que estão no mercado agora, eles são pesados ​​e de pouca mobilidade por causa das caixas de engrenagens neles, mas o nosso atuador não precisa de nenhuma engrenagem. Ele tem uma espessura de meia polegada. Pode ser fino, leve e estamos convencidos de que vamos ver pessoas saindo de cadeiras de rodas e até dançando com esses exoesqueletos".

Gibney explicou que o 'LiveDrive' pode ser usado de diversas maneiras e pode ser aplicável em cerca de 70% do mercado de robótica.

Além disso, "ele vai de exércitos, hospitais, fabricantes de automóveis, empresas de embalagens, até toda a gama de indústrias", disse ele. Poderia até ser usado em novas aplicações, como ajudar as pessoas que exercem trabalhos fisicamente pesados, reduzindo a tensão em seus corpos e costas para o levantamento de peso.

Quase 45 das principais empresas de robótica e automação aceitaram o convite da 'Genesis Robotics' para saber mais sobre o LiveDrive.

 

veja também