Coalizão de pastores elogia juiz que barrou o casamento gay no estado do Alabama (EUA)

A decisão emitida por Roy Moore parece dar um fim à polêmica gerada por outro juiz, que afirmou ser inconstitucional proibir que tribunais venham a oficializar casamentos gays.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 6 Março de 2015 as 4:34

Roy Moore é chefe do Tribunal Superior do Alabama (EUA)
Roy Moore é chefe do Tribunal Superior do Alabama (EUA)

Uma organização Afro-Americano socialmente conservadora elogiou o juiz do Supremo Tribunal do Alabama, Roy Moore, por ordenar que não fossem mais dadas ordens judiciais para a celebração de casamentos gays no estado.

Moore emitiu a decisão na última terça-feira (3), exigindo que os juízes de inventário parassem de conceder licenças para casamentos entre pessoas do mesmo sexo e isto aconteceu pouco mais de um mês após outro juiz ter declarado que a proibição do casamento gay do Alabama era inconstitucional.

A Coalizão de Pastores Afro-Americanos (CAAP) divulgou um comunicado na última quarta-feira, anunciando que Moore vai receber primeiro o prêmio "Letter from Birmingham Jail Courage Award" (um tipo de premiação dado pelo grupo a pessoas que fazem atos grandiosos pela sociedade).

"As ações de Moore foram baseadas no fato de que o tribunal federal não tem o poder de redefinir o casamento em oposição direta à tradição jurídica e à vontade claramente expressa pelo povo", afirmou a Coalizão.

"Sua coragem e convicção convenceram a CAAP que Moore seria o homenageado ideal para a apresentação inaugural de um prêmio inspirado pela famosa carta Dr. Martin Luther King Jr".

O reverendo William Owens, presidente da Coalizão, disse em um comunicado que a ação de Moore em barrar o casamento gay no Alabama foi "uma posição de princípios e persuasiva em favor do casamento"

"Moore selecionou-se como alguém que está pronto para defender os nossos valores e ajudar a conduzir este novo movimento de direitos civis", disse Owens.

"Pelas suas palavras e ações corajosas, ele tem ajudado a preservar o casamento, a família, a justiça, e com o espírito da democracia".

Em janeiro, o juiz distrital Callie V. S. Granade decidiu que a proibição do Estado sobre o casamento gay, aprovada com mais de 80% dos votos em 2006, era inconstitucional.

Porém, já no mês passado (fevereiro), antes Moore tinha emitido uma ordem, determinando que os juízes de inventário não emitissem mais licenças de casamento para casais homossexuais - apesar da decisão Granade.

No início desta semana, o estado supremo tribunal votou (com 7 votos a 1) para barrar juízes de inventário de emissão de mais licenças de casamento para casais homossexuais.

"Como tem sido feito por cerca de dois séculos, a lei do Alabama permite o 'casamento' apenas entre um homem e uma mulher", diz a decisão.

"Os juízes de inventário do Alabama têm o dever ministerial de não emitir qualquer licença de casamento contrário a essa lei ... Nada se altera na Constituição dos Estados Unidos ou substitui esse dever".

A CAAP não foi o único grupo socialmente conservador que elogiou Moore por suas ações. O Conselho de Pesquisa da Família lançou também uma declaração chamando a ação da Suprema Corte estadual de "decisão sábia."

"Em uma mudança que nos deixa aliviados, a Suprema Corte do Alabama está usando a lei para determinar suas ações - e não uma opinião politicamente motivada de um juiz federal de primeira instância", afirmou o presidente da FRC, Tony Perkins.

 

 

veja também