Colégio que puniu estudante por dizer "Deus Abençoe" na aula terá que fazer um pedido público de desculpas

"Foi ilegal o funcionário da escola tirar a estudante da classe", disse o advogado sobre a expressão.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 28 Agosto de 2014 as 8:57

Após dizer "Deus abençoe" quando um colega espirrou, a estudante Kendra Turner, foi suspensa por sua professora, Eva Kindle, no dia 18 de agosto, afirmando que esse tipo de "discurso piedoso" é só para a igreja. O caso saiu da diretoria da escola e foi parar na justiça.

"No prazo de sete dias, nós exigimos do colégio Dyer County um pedido público de desculpas por escrito sobre seu equívoco em disciplinar ilegalmente Kate Turner por seu discurso religioso protegido”, adverte Jeremiah Dys, conselheiro do Instituto Liberdade, em uma carta para os funcionários da escola Dyer County, no Tennessee (EUA).

A carta também exige que a escola retire totalmente a punição contra Turner e instrua seus funcionários e professores a removerem imediatamente a proibição do uso das expressões de cunho religioso em sala de aula. A carta explica: "Os funcionários da escola devem seguir as regras da Constituição, assim como os alunos devem seguir regras razoáveis ​em sala de aula."

Dys aponta que os pais de Turner, de acordo com suas crenças religiosas, "lhe ensinou a dizer 'Deus abençoe’ quando uma pessoa espirra – o que ela fez com pouca ou nenhuma interrupção da aula”.

"No entanto, o professor de Kendra interrompeu o resto da turma para enfrentar utilização tranquila de Kendra da frase" te abençoe. "Uma discussão em sala de aula seguido durante o qual o professor vigorosamente explicou que não haveria 'fala piedosa' em sua sala de aula e enviou Kendra para a sala do diretor.Kendra se reuniu com a vice-diretora que afirmou ação hostil do professor, indicando que não há linguagem religiosa é permitida em sala de aula.

"A Constituição afirma que não há impedimentos em declarar uma expressão tão simples de sua fé. Como o Supremo Tribunal de Justiça observou há 45 anos, 'Dificilmente pode-se argumentar que estudantes ou professores abram mão de seus direitos constitucionais à liberdade de expressão na sala de aula ou no portão da escola. Esta tem sido a realização deste tribunal por quase 50 anos. "

 

Veja mais sobre o caso:

Estudante dos EUA é penalizada por dizer "Deus te abençoe" durante a aula

 

Com informações de WND

veja também