Com "Navio do Aborto", Holandesa passa por diversos países e gera polêmica

A iniciativa consiste em realizar abortos em alto mar e distribuir pílulas abortivas, para gestantes nas primeiras semanas de gravidez.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 3 Setembro de 2014 as 9:28

"Navio do Aborto" cancela viagem ao Brasil

O projeto WOW - "Women on Waves" ("Mulheres sobre as Ondas") liderado pela médica holandesa Rebecca Gomperts tem prestado um serviço polêmico em diversos outros países. A iniciativa consiste em realizar abortos e distribuir pílulas abortivas, para gestantes nas primeiras semanas de gravidez.

Com uma "clinica" instalada em um navio chamado "Aurora", Gomperts passa por diversos países da África e América Latina (onde a prática não é aceita), recolhendo mulheres grávidas que queiram fazer a interrupção na gestação e realizar nestas os procedimentos abortivos. A ideia é realizar o aborto dentro da embarcação e fora das águas territoriais, ou seja, onde "em tese" não vigora o ato não seria ilegal.

Apesar de pertencer ao Greenpeace e participar de suas ações ambientais, a médica holandesa, o escritório da Organização no Brasil afirmou que não dá apoio a Gomperts e não tem posição sobre o serviço prestado por ela e seu projeto.

Suspensão
Em 2009, se deu uma suspensão temporária do serviço prestado pela médica. A questão estaria no fato do navio usar a bandeira holandesa, conseguindo assim imunidade diplomática nos países onde chegava. Por exigência de grupos cristãos do país, a embarcação não pode mais usar o símbolo.

Na época, tal suspensão levou ao cancelamento de viagens que seriam feitas à América Latina (incluindo o Brasil).

Barrado
Já em 20014 (após liberação), a embarcação também foi barrada ao tentar atracar no Marrocos. As autoridades marroquinas impediram-no e garantiram que não permitiriam “operações ilegais” nas suas águas territoriais.

Contextualização
No Brasil, a questão do aborto ainda tem gerado grandes discussões, até mesmo no Legislativo. Líderes cristãos e outros representantes dos direitos da família têm se posicionado fortemente contra a prática abortiva.

Entre eles, estão Marco Feliciano (pastor e deputado pelo PSC), Silas Malafaia (pastor) e Marisa Lobo (psicóloga cristã e candidata a deputada federal pelo PSC).

Em seu perfil oficial do facebook, Marisa citou esta mesma embarcação liderada pela holandesa Gomperts como "Navio do Genocídio".

"O mundo inverteu os valores e princípios. Precisamos ir para o enfrentamento através das leis", disse.

Com informações do Terra

veja também