Como os evangélicos estão mudando de ideia sobre o casamento gay

O número de igrejas que apoiam o casamento gay tem aumentado, e pastor alerta: “os que defendem isso não são evangélicos, mas revisionistas que não apoiam a autoridade bíblica tradicional”.

fonte: Guiame, com informações de Time

Atualizado: Sábado, 17 Janeiro de 2015 as 3:24

 

O cristianismo é conhecido por ter princípios opostos aos seculares, e um deles é sua completa oposição ao casamento gay. Agora, lentamente, os evangélicos têm mudando suas mentes.

O apoio ao casamento gay aumentou ao longo da última década, de acordo com o Instituto de Pesquisa de Religião Pública. Nos Estados Unidos, a mudança mais rápida é encontrada entre os jovens evangélicos, já que seu apoio saltou de 20% em 2003, para 42% em 2014.

Um dos exemplos é o que acontece na Mega-Igreja EastLake, em Seattle, EUA. A frente de milhares de membros, o pastor Ryan Meeks, 36 anos, apoia uma nova escolha de evangelho. "Eu me recuso a ir em uma igreja onde meus amigos que são gays sejam excluídos da comunhão, da aliança do casamento ou da beleza da comunidade cristã. Para mim, a mensagem de Jesus eram mensagens de grande inclusão", afirma Meeks.

O pastor Meeks acredita que a igreja está atrasada, e encara a mudança como heresia – colocando o que a própria Bíblia diz em jogo. "Cada movimento de reforma na história da igreja é rotulado como primeira heresia. O pentecostalismo esta atrasado nisso. Temos uma dívida para pagar."

A defesa de um evangelho que não é o de Cristo

Russell Moore, que faz parte da Comissão de Ética da Convenção Batista do Sul, acredita que os que defendem o casamento gay não são evangélicos, mas revisionistas que não apoiam a autoridade bíblica tradicional. Além disso, Moore diz que os pontos de vista cristãos sempre estarão totalmente fora da lógica da sociedade. "Nós acreditamos em coisas ainda mais estranhas do que isso. Acreditamos que um homem que já foi morto, ainda virá do céu montado em um cavalo branco".

O escritor e pastor Rick Warren, da Igreja Saddleback, na Califórnia, disse que a igreja não deve ceder, em uma audiência no Vaticano. "Nós construímos nossas vidas sobre a verdade imutável da Palavra de Deus", disse Warren. "Você vê, a verdade ainda é verdade, não importa quantas pessoas duvidem disso. Eu posso negar a lei da gravidade, mas isso não muda a gravidade. E só porque nós quebramos as leis de Deus, isto não as torna inválidas", alertou.

"A mentira não se torna uma verdade, o errado não se torna certo e o que é mau não se torna bom só porque é popular. A verdade é sempre verdade", acrescentou.

Warren encorajou aqueles reunidos para celebrar casamentos saudáveis: "Temos de ser defensores do que é certo, e não apenas um adversário do que está errado", disse ele. "Celebrar, destacar e honrar o casamento, creio eu, é a melhor defesa, quando você precisa mostrar às pessoas o que é real".

O pastor apontou para o capítulo cinco de Efésios, no qual o casamento é descrito como um reflexo do amor de Cristo pela Igreja. "Este é o significado mais profundo do casamento. Este é o propósito mais profundo do casamento, e esta é a razão mais forte pela qual o casamento só pode ser entre um homem e uma mulher", disse ele.

"A Igreja nunca deve ser cativada pela cultura, manipulada pelos críticos, motivada por aplausos, frustrada por problemas, debilitada por distrações ou intimidada pelo mal. Temos que manter a corrida com o nosso olhar sobre a meta, e não sobre os gritos do lado da linha. Devemos ser guiados pelo Espírito Santo, com propósito e, por isso, que não podemos ser comprados, não vamos parar até que termine a corrida focada em missões", finalizou.

veja também