Construção do parque temático "Arca de Noé" perde incentivos fiscais do governo, nos EUA

A decisão estaria relacionada à política de contratação adotada pela diretoria do parque.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 15 Dezembro de 2014 as 12:30

Construção do parque temático "Arca de Noé" perde incentivos fiscais do governo, nos EUA

O governo do estado de Kentucky retirou os incentivos fiscais anteriormente concedidos para a construção do parque temático "Arca de Noé", que está sendo planejado na região. Os incentivos totalizavam 18 milhões de dólares.
 
O blog criacionista "Answers in Genesis" ("Respostas no Gênesis") - criado pelo cientista cristão Ken Ham - está apoiando o projeto que apresenta um orçamento de aproximadamente US$172,5 milhões.
 
Anteriormente, havia sido concedida uma aprovação preliminar para um programa de incentivo fiscal do Estado para a concretização do projeto. O programa teria permitido que a empresa a tivesse direito a 25% do imposto sobre vendas coletadas no parque temático por 10 anos.
 
Após a aprovação, o parque chamado "Ark Encounter" teria mudado sua política de contratação para selecionar funcionários. Segundo fiscais do governo, esta política estaria se baseando na opção religiosa dos candidatos.
 
"Os incentivos fiscais do Estado para o turismo não podem ser usados para financiar a doutrinação religiosa ou de outra forma serem usados para o avançõ da religião", disse o secretário de Turismo Bob Stewart em um comunicado oficial. "O uso de incentivos do Estado para este propósito viola a separação entre Igreja e Estado previsa na Constituição e, portanto, é inadmissível".
 
Em resposta à decisão do governo do Estado, o advogado do blog "Answers in Genesis", James Parson enviou uma carta ao Departamento de Desenvolvimento Financeiro do Turismo de Kentucky, argumentando que as demandas do Estado sobre as políticas de contratação de violam as leis estaduais e federais.
 
"Se você insistir na condição recém-imposta ... vai constituir uma discriminação inconstitucional sobre o ponto de vista e meu cliente não terá escolha a não ser buscar uma reparação na Justiça federal", disse Parsons.

Clique no vídeo abaixo para conferir algumas imagens (em inglês) de divulgação do projeto:

 
Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também