Cristão condenado a prisão perpétua é forçado a dizer que estava arrependido de evangelizar

Ainda segundo os documentos, Lim evangelizava desde 2013, convertendo muitos ao cristianismo. Tal fato despertou a atenção dos agentes do governo.

fonte: Reuters

Atualizado: Terça-feira, 5 Janeiro de 2016 as 7

Hyeon Soo Lim (Imagem: Reuters)
Hyeon Soo Lim (Imagem: Reuters)

De acordo com os relatórios do ministério Portas Abertas, o reverendo Hyeon Soo Lim, de 60 anos um cristão norte-coreano, foi condenado à prisão perpétua na Coreia do Norte, em dezembro de 2015. O líder era um missionário ativo no país, onde fornecia abrigo, alimentos e outros benefícios aos refugiados que viviam em condições precárias.

Ainda segundo os documentos, Lim evangelizava desde 2013, convertendo muitos ao cristianismo. Tal fato despertou a atenção dos agentes do governo. De acordo com fontes locais, Hyeon havia organizado a abertura de 500 igrejas clandestinas. Lim foi preso, torturado e acusado de tentar derrubar o governo norte-coreano.

A imprensa local afirma que as autoridades fizeram de tudo para tentar a pena de morte, mas o tribunal impôs a sentença de prisão perpétua. Isso aconteceu quando Lim havia “confessado” seu arrependimento sincero. Até mesmo a mídia secular comentou que, muito provavelmente, Lim foi forçado a dizer estas palavras.

Resistência

Mesmo com a prisão do líder religioso e de tantas outras formas de lutar contra o cristianismo, a igreja permanece viva há quase 70 anos e isso faz com que o governo norte-coreano não vença a guerra contra o cristianismo. Atualmente, cerca de 400 mil cristãos ainda professam a fé cristã de forma secreta, na Coreia do Norte.

veja também