Cristãos de Bruxelas oram pelos feridos e famílias das vítimas, após ataques

"Em um dia como este, vemos mais claramente o quebrantamento em torno de nós. Nós lamentamos tudo o que está perdido, mas não como pessoas que não têm esperança", disse o pastor de uma igreja localizada a 1Km da estação de metrô onde ocorreu um dos ataques.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 22 Março de 2016 as 1:13

Os ataques em Bruxelas seguem uma sequência de dias de tensão e podem ser uma resposta à prisão de um dos principais responsáveis pelos atentados de novembro em Paris (Foto: Telegraph)
Os ataques em Bruxelas seguem uma sequência de dias de tensão e podem ser uma resposta à prisão de um dos principais responsáveis pelos atentados de novembro em Paris (Foto: Telegraph)

Cristãos em Bruxelas estão orando, enquanto se atualizam as notícias sobre ataques desta manhã, na cidade belga e o primeiro-ministro do país, Charles Michel confirmou que "dezenas" de pessoas foram mortas ou feridas.

Falando ao site 'Christian Today' de Bruxelas, o pastor sênior do Centro Cristão, Joe Szabo disse que alguns membros de sua congregação presenciaram um dos ataques e que funcionários da igreja se reuniram para orar esta manhã.

"Nós soubemos que algumas pessoas da igreja estavam no aeroporto, eles estavam lá quando a explosão aconteceu", disse Szabo. "Felizmente ninguém ficou ferido".

Os membros da igreja vão orar especificamente por aqueles que ficaram feridos nos ataques, e pelas famílias dos mortos, durante os cultos de Páscoa, conforme o pastor informou. "Pelas vítimas, para que Deus proteja a nossa cidade e o nosso país".

O líder de campo da 'OM Bélgica' - uma organização evangélica de missões cristãs, que está localizada a apenas cinco minutos do aeroporto de Zaventem, onde duas das explosões ocorreram - Jan Wisse disse que seu cunhado estava em um trem, uma hora antes da explosão estação de metrô Maelbeek.

Wisse disse que sua equipe realizou uma reunião de oração esta manhã, e um número de pessoas está atualmente ajudando a Cruz Vermelha. Outro membro foi enviado para ver qual tipo de ajuda prática a organização pode oferecer às vítimas que estão se recuperando em um complexo desportivo local.

O Centro Cristão esteve envolvido na resposta à crise de refugiados, em Bruxelas, onde centenas de pessoas fugiram de países como Síria e Eritreia.

A colunista controversa 'Katie Hopkins' provocou indignação por culpar os refugiados pelos ataques desta manhã.

"Cada um de vocês que disse que os refugiados são bem-vindos... Se vocês disseram 'deixe-os entrar', vocês são responsável por Bruxelas. E vocês ainda não conseguem ver", disse a escritora.

O candidato Republicano à presidência dos EUA, Donald Trump - que já é considerado polêmico por propor a proibição da entrada de muçulmanos de nos Estados Unidos - também não tardou em culpar os refugiados pelos ataques.

"Minha mensagem para nós hoje é esta: 'é melhor ficar esperto e é melhor ficar esperto rápido", disse ele durante uma entrevista por telefone com a FoxNews hoje. "Na minha opinião, este é apenas o começo. Vai ficar cada vez pior. Porque nós somos negligentes e somos tolos".

"Eu tenho falado sobre isso por um longo tempo. Olhe, Bruxelas foi uma bela cidade, um lugar lindo com criminalidade zero e agora é um desastre", acrescentou. "É um desastre total. E nós temos que ter muito cuidado nos Estados Unidos, nós temos que ser muito, muito vigilantes quanto a quem nós permitimos que entre neste país".

Szabo disse que o Centro Cristão continuará a servir aos refugiados na sua comunidade.

"Nós ainda estamos acreditando que devemos amar todas as pessoas em nossa cidade. Oramos pelos muçulmanos, pelos cristãos e pela população judaica. O bombardeio não vai nos impedir de continuar a realizar nossa missão de compartilhar o amor de Deus com todo as pessoas", disse ele.

Embora a igreja tenha suspendido alguns dos seus projetos de alcance aos refugiados hoje (porque o transporte público parou), distribuiu alimentos aos refugiados mais perto de seu edifício.

Carlton Deal, pastor fundador da igreja 'The Well', em Bruxelas, disse em um e-mail ao 'Christian Today' que a estação de metrô Maelbeek fica a apenas a 1Km do escritório da igreja.

"Histórias de 'quase-acidentes' estão se derramando dentro de nossa comunidade: o cancelamento de um voo no último minuto, uma decisão inesperada para andar em vez de pegar o metrô, o amigo de um amigo que estava no metrô quando a bomba explodiu, mas permaneceu ileso", ele disse. "Todas as longos sirenes estão soando neste dia. A polícia e as ambulâncias estão correndo para atender às necessidades e os helicópteros pairam sobre nós".

"Em um dia como este, vemos mais claramente o quebrantamento em torno de nós. Nós lamentamos tudo o que está perdido, mas não como pessoas que não têm esperança. Que os acontecimentos de hoje aprofundem nossa compaixão e fortaleçam nossa determinação de cruzar a linha".


Estado Islâmico
Segundo a Reuters, o Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelas explosões. Sem número oficial de mortos, a emissora belga VRT disse que 34 mortes estavam confirmadas e o prefeito de Bruxelas, Yvan Mayeur confirmou que 106 pessoas ficaram feridas.

Além de assumir a autoria dos atentados, o grupo terrorista ainda destacou que mais ataques estão programados.

veja também