Cristãos evangelistas ajudam morador de rua a voltar para casa

O rapaz é Fábio Bernardo Carneiro, de 35 anos que havia deixado a igreja há alguns anos. Acabou se envolvendo com tráfico e contrabando de drogas para o exterior, até que foi preso.

fonte: Guiame, com informações do site Notícias Adventistas

Atualizado: Quinta-feira, 2 Junho de 2016 as 1:49

O rapaz foi convidado para uma conversa, mas ele deu de ombros recusando o convite. (Foto: Notícias Adventistas).
O rapaz foi convidado para uma conversa, mas ele deu de ombros recusando o convite. (Foto: Notícias Adventistas).

Um grupo de jovens cristãos realizavam uma ação evangelística no dia 14 de maio em Caxias do Sul, interior gaúcho, quando foram surpreendidos com a história de um morador de rua. Enquanto eles distribuíam abraços e exemplares do livro “Esperança Viva” da Igreja Adventista, um grito: “É fácil abraçar quem está cheiroso. Quero ver abraçar quem está na rua, fedido”.

Oriundo de um rapaz que estava bebendo uma dose de cachaça para se aquecer, vestindo roupas sujas, descabelado e barbudo, a crítica foi o suficiente para alertar os jovens. “Estava olhando eles cumprimentando apenas pessoas bonitas e limpas. Fiquei chateado com aquilo”, explicou o homem para o site da Igreja Adventista.

O rapaz foi convidado para uma conversa, mas ele deu de ombros recusando o convite. “Ficamos nos questionando o motivo da reação daquele rapaz. Mas depois disso, nos reunimos para fazer uma oração de agradecimento a Deus pelos sorrisos e abraços ali recebidos”, lembrou Francielle Mombach, que fazia parte do grupo.

Após alguns instantes, o rapaz voltou e se aproximou dos jovens, que o abraçaram. Logo, ele pediu: “Posso tocar algo no violão?” Do instrumento, os acordes de “Getsêmani”, do cantor Leonardo Gonçalves começaram a fluir. Durante a canção, as lágrimas rolavam pelos rostos dos ouvintes.

Entenda a História

O rapaz é Fábio Bernardo Carneiro, de 35 anos que havia deixado a igreja há alguns anos. Acabou se envolvendo com tráfico e contrabando de drogas para o exterior, até que foi preso. Depois de ser solto, passou por diversas dificuldades se entregou ao uso do crack. Foi ai que Fábio começou a morar nas ruas.

Em Caxias do Sul, ele se alimentava de comida do lixo, consumia drogas e bebia quando conseguia alguns trocados. Perdeu a alegria de viver e foi morar ao relento. Longe de casa e da família, naquele momento sua mente o levou para São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, onde vivia com a família.

Uma Nova História

“Eu sou ex-adventista”, disse Fábio ao ser questionado porque ele conhecia aquelas canções cristãs. “Essas são musicas da nossa Igreja. De onde você as conhece”, perguntou um dos que ali estavam. A revelação emocionou a todos, que imediatamente o abraçaram. Depois de ouvir sua história, o convidaram para ir ao culto na quarta-feira. “Se você for, certamente vamos te levar para casa”, prometeram. No dia combinado, todos estavam lá, o aguardando com um jantar especial e ansiosos para ver se ele iria à igreja.

Durante uma semana, Fábio recebeu cuidados da igreja, além de roupas e a passagem aérea para que pudesse voltar para casa. No dia 22, na zona de embarque do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, os jovens entenderam que um abraço dura muito mais que um momento e pode mudar vidas.

A família já aguardava ansiosa em São Paulo. Depois de reencontrar o filho, Carlos Carneiro revelou. “Foi uma emoção sem fim. Fazia seis meses que não o via. Estávamos orando muito e a igreja estava intercedendo também para que Deus o trouxesse de volta”, frisou. Agora, Fábio está morando com os pais e quer voltar à igreja e levar para outras pessoas o mesmo carinho que recebeu na cidade gaúcha.

veja também