“Cristãos no Irã oram cinco horas por dia”, diz Saeed Abedini sobre avivamento

Saeed foi liberto em janeiro, quatro anos após receber a sentença de oito anos de prisão em 2012, no Irã. Ele foi acusado de ameaçar a segurança nacional por haver implantado uma rede de igrejas domésticas no país.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 10 Março de 2016 as 12:29

Saeed foi liberto em janeiro, quatro anos após receber a sentença de oito anos de prisão em 2012, no Irã. (Foto: Reprodução)
Saeed foi liberto em janeiro, quatro anos após receber a sentença de oito anos de prisão em 2012, no Irã. (Foto: Reprodução)

Após passar quatro anos preso no Irã, o pastor Saeed Abedini se deparou com uma nova realidade em seu retorno aos Estados Unidos: uma igreja perdida e que vive um avivamento superficial.

"Quando deixei os Estados Unidos e acabei sendo preso no Irã, eu achava que os americanos não se preocupavam com a política. Mas após quatro anos, vejo que todo mundo está falando sobre política”, avaliou Abedini em uma publicação no Facebook.

Saeed foi liberto em janeiro, quatro anos após receber a sentença de oito anos de prisão em 2012, no Irã. Ele foi acusado de ameaçar a segurança nacional por haver implantado uma rede de igrejas domésticas no país.

"Os americanos perceberam que precisam mudar, mas eles estão procurando no lugar errado. Nenhum político pode trazer a mudança. Só o Senhor Jesus Cristo, pelo poder do Espírito Santo, pode fazer isso acontecer", acrescentou.

Abedini aponta que estudar a Bíblia, participar de cultos servir ao Senhor através de atividades na igreja são coisas boas, mas não representam o verdadeiro avivamento.

"Os novos cristãos no Irã oram, pelo menos, cinco horas por dia e estão dispostos a dar a vida para manter sua fé. E quando você pergunta a eles se têm vivido o avivamento, eles dizem: 'Não! Nós não sabemos muito sobre a Bíblia, nós não evangelizamos o suficiente e não pregamos. Não podemos encontrar uma igreja para ir e nos sentimos muito mal por isso’”, relata o pastor.

Ainda que estes cristãos não percebam, Abedini afirma que enxerga neles o avivamento. "Os cristãos americanos têm tanto e são pessoas tão boas, mas ainda precisamos de avivamento em nossos corações. Um tipo de avivamento que nos faz cair com os joelhos no chão para orar", afirma.

"Então eu vejo que aqueles que pensam que vivem o avivamento, realmente não vivem. E aqueles que acham que não vivem o avivamento, esses vivem", concluiu Abedini.

veja também