A cura para o inseguro

Por meio de uma pequena história, Joyce Meyer fala sobre como muitos cristãos vivem suas vidas como escravos do diabo, por acreditarem nas mentiras dele mais do que confiam em Deus.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 23 Janeiro de 2015 as 12:04

 

Certa vez ouvi uma história sobre um menino chamado Johnny, que estava visitando seus avós. Johnny tinha acabado de ganhar seu primeiro estilingue. Quando foi praticar o jogo na floresta perto da casa, não conseguiu acertar nenhum alvo. Quando voltou para o quintal, ele avistou o pato de estimação de sua avó. Num impulso, ele mirou e atirou uma pedra. A pedra atingiu o pato, e o animal morreu. Claro, ele entrou em pânico. Sua irmã, Sally, viu a cena toda, mas não disse nada.

Após o almoço naquele dia, a avó disse: "Sally, vamos lavar a louça". Mas Sally disse: "O Johnny me disse que queria ajudar na cozinha. Vá você Johnny!" Ela inclinou-se para ele e sussurrou: "Lembra do pato". Então, Johnny lavou os pratos com a avó.

Mais tarde, naquele dia, o vovô se ofereceu para levar os netos para pescar. Mas a vovó disse: "Me desculpe, mas eu preciso de Sally para ajudar a fazer o jantar". Sally sorriu e disse: "O Johnny quer te ajudar". Mais uma vez, ela sussurrou: "Lembra do pato". E Johnny ajudou a avó a preparar o jantar, enquanto Sally foi pescar com o avô.

Depois de vários dias fazendo as tarefas dele e de Sally, Johnny finalmente não aguentou mais e confessou a avó que tinha matado seu pato. "Eu sei", disse a avó, dando em Johnny um grande abraço. "Eu estava em pé na janela e vi a cena toda. Mas eu te amo, então eu te perdoei. Eu me perguntei quanto tempo você iria deixar Sally fazer de você, um escravo."

Você não é um escravo

Essa pode ser uma história engraçadinha, mas que transmite uma verdade muito séria, segundo a autora Joyce Meyer. “Muitos cristãos vivem suas vidas como escravos do diabo, porque acreditam nas mentiras dele mais do que confiam em Deus. Sua tática é enganar o povo de Deus afirmando que temos de fazer tudo certo, para sermos aceitos e termos graça diante de Deus.”

Joyce explica que muitos pensam que estão bem com Deus quando fazem coisas boas; e quando fazem coisas más, Deus fica zangado. “O diabo sabe que algumas pessoas são não conseguem separar o seu "quem sou" do seu "o que eu faço", ou não aceitam que foram justificados por causa do que Cristo fez – e não pelo que eles fazem. Ele sempre gosta de nos lembrar das nossas fraquezas, erros e pecados, nos preparando para viver um ciclo interminável de comparações e competição com outros; vergonha, julgamento e uma sensação constante de irritação por não ser bom o suficiente.”

Você é amado por Deus

A autora deixa claro: Deus ama você! “Ele enviou Seu Filho para morrer pelos nossos pecados, para que tivéssemos em comunhão com Ele – não por causa das coisas que já fizemos, fazemos hoje, ou nunca faremos. Mas simplesmente porque Ele nos ama.”

“Quando nós cometemos erros, Ele quer que a gente perceba que não há nenhuma razão para se esconder. Nossa justiça é baseada no que Jesus fez, nada mais, nada menos. Nós não temos que viver debaixo de culpa e condenação se Deus está disposto a nos perdoar quando nos arrependemos de nossos pecados”, disse Joyce. 

Joyce conta que devemos saber o que a palavra de Deus diz a nosso respeito, e crer nisso. “Quando você sabe quem você é em Cristo, você não irá viver uma vida medíocre, mas sim uma vida sem culpa e condenação. Você não irá viver para tentar impressionar ninguém, nem será atormentado pelas mentiras do inimigo, mas você estará livre para ser quem Deus te criou para ser: justo pela fé em Cristo”.

veja também