"Deus é minha segurança", diz idoso que foi atingido por um tiro enquanto lia a Bíblia

Cinco balas foram disparadas contra a casa de Alexander e uma delas atingiu seu rosto. O idoso sobreviveu e foi levado para o hospital.

fonte: Guiame, com informações do site Hello Christian

Atualizado: Quinta-feira, 30 Março de 2017 as 11:18

Alexander contou que as balas quebraram as janelas de sua casa e uma delas o atingiu.
Alexander contou que as balas quebraram as janelas de sua casa e uma delas o atingiu.

Ao ler a Palavra de Deus, geralmente buscamos por um local tranquilo e assim podemos ter um foco adequado. Mas, nem sempre é assim. No caso de Alexander Barber, um idoso de 79 anos que mora na Carolina do Norte (EUA), ele se encontrou em um caso bem extremo enquanto lia sua Bíblia.

Ele foi atingido por um tiro enquanto meditava nas Escrituras, em sua casa na última segunda-feira (27). "Eu estava lendo o livro de Samuel", disse Alexander. De repente, ele ouviu disparos de tiros. As balas quebraram suas janelas e portas. Ele pode ver depois pneus de carros furados também. Uma dessas balas atingiu e matou Ladawn Morgan de 19 anos. Ela morreu na hora.

"Eu não vi nada", disse ele. Alexander contou à FOX8 que ouviu cinco tiros enquanto ele estava sentado com a Bíblia no colo. "No quinto tiro, eu senti uma picada aqui", ele disse apontando para sua bochecha direita. "Imediatamente eu sabia que tinha sido atingido". Quando ele baixou sua mão, estava coberta de sangue.

"Eu acho que estava tão nervoso que tentei ligar para a emergência, mas não recebi nenhuma resposta", disse ele. "Eu devo ter ligado para outro número sem querer, não lembro que número disquei", explicou. O idoso sentou-se chocado em seu carro, enquanto páginas da Bíblia eram embebidas de sangue derramado por sua ferida.

"Foi muito sangrento, havia sangue por toda a Bíblia", disse ele. Quando os paramédicos chegaram, levaram ele correndo para o hospital. "Era como uma picada de abelha", disse ele.

Alexander disse que os tiroteios estão se tornando uma ocorrência frequente na área. "Pessoas disparam tiros o tempo todo. Chamamos a polícia várias vezes", disse ele. "Um certo número de policiais viviam aqui, mas agora não há nada além do tráfico de drogas", ressaltou.

"As mães não sabem onde estão seus filhos e não se importam onde estão", acrescentou. “Algumas dessas crianças ficam aqui até uma ou duas horas da manhã subindo e descendo a rua. Apesar do acidente, eu me considero abençoado por Deus por ter sobrevivido. Ele tem sido minha segurança”, finalizou

veja também