Deus não lidou com o pecado de um púlpito acolchoado

A verdade cristã não é uma flor delicada, cultivada num convento como um lírio numa estufa

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 20 Agosto de 2014 as 2:09

cruzA terra ao nosso redor ainda está coberta com o mau cheiro do sangue dos 200 milhões de pessoas que foram abatidas em guerras no século passado.

Deveria Deus se distanciar de tudo isso? Como Ele poderia? Ele deveria falar em termos “sem sangue”? O que Ele poderia fazer sem sangue num mundo que é tudo menos “sem sangue”?

Somente um Cristo ferido pode vir a um mundo ferido. Nosso tipo de mundo precisa desse tipo de Salvador. O sangue de Jesus fala a verdade sobre Deus. A verdade cristã não é uma flor delicada, cultivada num convento como um lírio numa estufa. Maldade é um cheiro horrível nas narinas de Deus e não pode ser disfarçada por poesia perfumada.

Deus não lidou com o pecado de um púlpito acolchoado, mas pregado a um aparelho de morte romano. Ele invadiu o território do diabo e perseguiu-o, atacando a morte e o inferno de frente.

Um encontro como esse não poderia ter sido sem sangue. “Precioso, precioso sangue de Jesus, derramado no Calvário; derramado por rebeldes, derramado por pecadores, derramado por mim...”


- Reinhard Bonnke

 

veja também