Dois anos após incêndio na Boate Kiss, homenagens às vítimas são marcadas pela emoção e clamor por justiça

Fotos, cartazes e velas encheram a Praça Saldanha Marinho, em Santa Maria, por volta das 19h. Uma concentração também se formou em frente ao prédio da Boate Kiss

fonte: Guiame, com informações do Diário de Santa Maria

Atualizado: Terça-feira, 27 Janeiro de 2015 as 9:20

Famílias prestam homenagens às vítimas da Boate Kiss, em Santa Maria (RS)
Famílias prestam homenagens às vítimas da Boate Kiss, em Santa Maria (RS)

Na noite da última segunda-feira, tiveram início as homenagens em memória às 242 vítimas que morreram, no trágico incêndio da Boate Kiss, em 27 de janeiro de 2013. As atividades foram marcadas pela emoção e clamores por justiça.

Fotos, cartazes e velas encheram a Praça Saldanha Marinho, em Santa Maria, por volta das 19h. A ação foi organizada pelo Movimento do Luto à Luta.

Além das homenagens na Praça, uma concentração também se formou em frente à boate Kiss. Três cartazes, exibindo frases que pedem por justiça foram fixados à fachada do estabelecimento. Além disso, a frase "Até quando a indiferença vai servir à injustiça?" também foi pintada de um lado do prédio, como forma de protesto.

Desenhos em grafite também foram produzidos, cobrindo parte da fachada do prédio.

Aluno do sexto semestre do curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Santa Maria, Deivison de Lima (24 anos) foi um dos responsáveis pelo grafite no local. Ele contou que desta forma ou de outra, tem buscado participar das manifestações pela causa.

"Nós sempre participamos, de uma maneira ou de outra, das manifestações junto ao movimento. É uma forma de darmos o nosso apoio ao que aconteceu e aos familiares. Nós também sofremos com a tragédia. Perdemos uma aluna do curso - comenta o estudante, se referindo à ex-colega Taise Carolina Viñas Silveira, uma das vítimas do incêndio. Ela estava no 3º semestre de Artes Visuais na UFSM", disse.

Após uma caminhada silenciosa rumo à viergília em frente ao prédio da boate, com velas em mãos, os manifestantes que estavam na Praça Saldanha Marinho, se reuniram à frente do estabelecimento e soltaram 242 balões brancos luminosos.

Para a tarde desta terça-feira, 27/01, o grupo pretende realizar outras atividades, como a distribuição de panfletos em frente à tenda da Praça Saldanha Marinho.

Apoio
Na homenagem do ano passado, o Ministério Engel participou das ações, apoiando famílias e amigos das vítimas do trágico incêndio.

Liderados pelo Ap. Joel Engel, diversos jovens também se dispuseram a ajudar no resgate das vítimas ainda na noite da tragédia.

Engel falou sobre o assunto em uma entrevista exclusiva ao Guiame.

Polêmica
Um outro fato relacionado à tragédia gerou polêmica recentemente. Intitulado "Nossa Nova Caminhada", um livro lançado pelos pais de sete jovens que morreram na tragédia, traria "cartas psicografadas", com mensagens das vítimas a parentes e amigos.

O caso foi comentado pelo Pr. Bruno dos Santos.

veja também