"É somente pela graça que estou viva", diz ex-lésbica que teve vida transformada

Depois de 20 anos sendo alvo das orações de sua mãe, Venus Burton percebeu que Deus poderia transformá-la. Ela abandonou o lesbianismo para se dedicar a pregação do evangelho.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 22 Agosto de 2016 as 3:19

Sua mãe disse que orou por sua filha durante 20 anos. Durante esse período elas estavam afastadas. (Foto: Reprodução).
Sua mãe disse que orou por sua filha durante 20 anos. Durante esse período elas estavam afastadas. (Foto: Reprodução).

Venus L. Burton, também conhecida como a ex-rapper Booski Love, já passou por grandes momentos de perigo, desejo e fama em Los Angeles (EUA). Ela era destaque entre as estrelas da cena rap, fazendo shows nas noites americanas.

Em 2010, no auge de sua carreira, Booski Love experimentou um momento de clareza. Ela despertou do transe que lhe deixava aprisionada e olhou diretamente para a eternidade, onde viu seu verdadeiro amor a esperando de braços abertos — Jesus Cristo.

Booski percebeu que, apesar de ter sido criada em um lar cristão por sua mãe solteira, e ter ido tão longe em sua vida como lésbica, Jesus ainda esperava por ela.

"Booski Love morreu naquele dia e eu me tornei uma verdadeira seguidora de Jesus. Agora estou trabalhando ao lado de minha mãe [Dr. VickiLee] compartilhando as Boas Novas para que todos possam ouvir", diz Burton.

Ela escreveu um livro sobre sua vida chamado “S.T.U.D - A Shared Testimony of Unashamed Deliverance” (Um Testemunho Sobre Minha Libertação, em tradução livre). O livro foi transformado em um longa-metragem de Hollywood e deverá ser lançado em breve.

Burton e sua mãe falam abertamente sobre a extraordinária reviravolta em suas vidas e como Venus se sentia isolada e confusa por não ter um pai por perto. Tentando encontrar uma realização, Burton entrou em um estilo de vida alternativo e teve uma série de namoradas lésbicas, passando a se vestir, até mesmo, como um homem.

Sua mãe disse que ela orou por sua filha durante 20 anos. Durante esse período elas estavam afastadas. Mesmo quando sua filha se desviou para um estilo de vida alternativo, ela nunca desistiu de "crer em um milagre de Deus”.

"Eu cresci em uma única casa", conta Burton. "Eu lidei com um monte de problemas de abandono por não ter uma figura paterna. Durante meus anos do ensino médio em Norwalk [parte de Los Angeles], eu era muito rebelde e procurava o amor em todos os lugares errados. Eu estava lidando com a pressão dos colegas e com o fato de não ter um pai, fiquei com raiva”, relatou.

"Ainda adolescente, eu entrei nas drogas e no álcool e, em seguida, assim que saí da escola, eu entrei na vida lésbica”, disse ela. Burton ainda vivia em casa, então fazia essas coisas em segredo, mas logo se tornou cada vez mais difícil esconder seu comportamento de sua mãe e irmão.

"A primeira garota que eu beijei foi a namorada do meu irmão", diz Burton. "Isso trouxe muita confusão à família. Eu não sabia que isso iria destruir a família, mas Deus reconciliou e fez com que a gente se unisse novamente".

Sua mãe conta que orava sem parar. "Sempre tivemos uma comunicação, mas a principal coisa que fiz foi orar muito", disse ela. "Eu realizava reuniões de oração toda a noite, toda sexta à noite, intercedendo para minha filha e meu filho”, contou.

Hoje, Burton ressalta que se ela está viva, é pela graça de Deus. “É somente por meio da graça de Deus que eu ainda estou viva hoje", finalizou.

veja também