"Ela foi extremamente desrespeitada", diz Sonia Abrão sobre Ana Paula Valadão

O post no Instagram rendeu diversas críticas que de acordo com Sonia, foram mais de 6 mil. Para a apresentadora, a atitude de Ana foi carinhosa.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2016 as 1:43

Para a jornalista, a cantora estava apenas eternizando um último momento com sua avó. (Foto: Reprodução).
Para a jornalista, a cantora estava apenas eternizando um último momento com sua avó. (Foto: Reprodução).

A apresentadora Sonia Abrão se pronunciou em seu programa na Rede TV, “A tarde é sua”, sobre o fato da cantora Ana Paula Valadão anunciar sua saída das rede sociais, se restringindo apenas as contas oficiais do Ministério Diante do Trono. O fato aconteceu após a líder de louvor publicar uma foto se despedindo de sua avó que havia morrido onde sua mão aparece sobre a mão da ente querida.

O post no Instagram rendeu diversas críticas que de acordo com Sonia, foram mais de 6 mil. Para a apresentadora, a atitude de Ana foi carinhosa. “Vamos falar aqui sobre essa história da Ana Paula Valadão, a cantora gospel. Morreu a avó dela e ela postou uma foto de despedida no Instagram dela e em questão de minutos teve seis mil críticas. Mas, não são criticas, não são comentários de pessoas que não gostaram do que viram, foi uma coisa feroz”, disse.

“Ela num momento de luto, num momento de perda da avó, não conseguiu arcar com esse tipo de coisa e ai ela retirou a sua conta do Instagram, que ai eu achei realmente uma pena. Vocês veem o impacto disso num momento de luto. O tipo de crítica desumana que as pessoas recebem que levam pessoas a falar: 'olha, quer saber? Desliguei, acabou, deletei, não quero saber mais'. Tudo por conta dessa foto que ela publicou, que é a mão dela sobre as mãos da avó no caixão e que veio acompanhada de uma declaração de amor, de uma despedida, dessa coisa toda”, pontuou Sonia.

Para a jornalista, a cantora estava apenas eternizando um último momento com sua avó. “Muita gente achou chocante. Dizendo que ela estava no celular na beira do caixão, dizendo que isso não podia. Quando no meu entender, ela estava eternizando um momento. Nunca mais ela ira poder tocar nessas mãos e ela quis guardar isso em termos de foto, porque a foto congela o momento pra sempre”, colocou.

“E ai ela dividiu essa dor dela com o público e ela foi extremamente mal interpretada e desrespeitada, porque é um momento de dor. Você pode não gostar, teve muita gente que achou chocante. Mas puxa, saiba comentar, ou em respeito a esse momento não comenta nada. Porque num momento como esse a gente faz qualquer coisa, até bobagem”, continou.
“Mas no caso dela foi eternizar esse momento pegando nas mãos daquela pessoa que fez parte da vida dela, da história dela e vai viver eternamente no coração dela, e pegando nessas mãos que ela nunca mais vai poder pegar e segurar. Então, vocês acham certo fazer esse tipo de coisa? Não é. É pisar na dor das pessoas”, afirmou.

A cantora publicou que deixaria sua rede social pessoal. (Foto: Reprodução).

Foto em velório

Para Sonia, existe um costume de fotografar uma pessoa no caixão no interior do Brasil e outras regiões. “No nosso país, ainda tem no interior do Brasil e a gente já falou sobre isso, até aqui no interior de São Paulo, a gente vê ainda esse tipo de coisa. As pessoas fotografam o morto no caixão. Fotografam o velório e ficam ali perto. Isso é uma tradição Eu não gosto, jamais faria, não consigo olhar, mas não foi isso que ela fez. Ela fez um detalhe que simbolizada todo o amor dela e a despedida”, ressaltou.

“Então, não achei chocante assim. E pode muito bem ser encaixada nessa coisa cultural que ainda existe no nosso Brasil. Então, achei desrespeitoso de verdade e lamento muito. Eu espero que quando passar essa tristeza a Ana Paula Valadão possa voltar para o Instagram dela e possa continuar compartilhando seus momentos com o público que gosta dela de verdade. Não esse pessoal que chega na hora errada para fazer comentário errado para aumentar a dor dela”, finalizou.

Confira o vídeo:

veja também