Em show de Aline Barros na Festa do Chope, bebidas alcoólicas não serão vendidas

A participação da cantora gospel na München Fest gerou revolta na bancada evangélica. Evento não venderá bebidas alcoólicas no dia do show de Aline.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 2 Outubro de 2014 as 8:12

Aline Barros gerou polêmica ao confirmar presença na 25ª München Fest – mais conhecida como “Festa do Chope” – em Ponta Grossa, no Paraná. Na noite do show, marcada para 2 de dezembro, será proibida a venda de bebidas alcoólicas a pedido da cantora, segundo a organização do evento.

A atração gospel na festa nacional do chope escuro revoltou a bancada evangélica na sessão de ontem (1/10). O líder da bancada, Pastor Ezequiel (PRB), considerou o show uma afronta à igreja e disse que, junto com a Associação dos Ministros Evangélicos (AME), vai pedir o cancelamento da apresentação de Aline no evento.

O vereador Professor Careca (SDD), membro da bancada, esclareceu que a bancada não estava de acordo com a contratação do show e afirmou que a vontade do bloco era acabar com a Münchenfest. “Além de criticar a cantora, de criticar o prefeito, estão criticando a bancada, tendo em vista que não temos nada a ver com isso. Aliás, por nós, a München não tinha mais”, afirmou. “Acho que é uma falta de respeito com o povo cristão, que deveria ser consultado por quem contratou esse evento”, completou Careca.

Por outro lado, o vereador Daniel Milla (PSDB) disse acreditar que não houve má fé na contratação da cantora. “A intenção dos organizadores da festa foi excelente, quiseram contentar todos os públicos, foi sem maldade”, disse. O parlamentar chegou a sugerir, ainda, a criação de um evento das mesmas proporções voltado ao público cristão, que seria intitulado ‘München Fé’.

Diante do comentário de Milla, alguns membros se exaltaram. “De boas intenções está cheio o caminho que leva ao inferno, asfaltado de almas”, disse o vereador Pastor Bertoldo (PRB).

A Comissão Organizadora da 25ª Münchenfest informou ao Jornal da Manhã que o show foi solicitado pelo próprio escritório de Aline Barros e que todas as características do evento foram apresentadas para a cantora. De acordo com a comissão, o escritório só pediu que não houvesse a venda de chope no dia do show. A comissão considerou, ainda, ‘preconceituosa’ a manifestação dos vereadores pastores contra o show da cantora. “Chega ser um pouco preconceituosa achar que não podemos misturar as pessoas. A festa não é só chope, existem famílias que vão lá, parques de diversão, a tradição alemã”, informou, reafirmando que não haverá cancelamento do show.

 

Com informações do Jornal da Manhã
www.guiame.com.br

veja também