Escritor afirma que cristãos precisam falar sobre o inferno para evangelizar ateus

"Como podemos professar o amor de Deus em nossos corações se não convocamos os não salvos a se arrependerem de seus pecados e se voltarem para o Salvador?", questionou Ray Comfort.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sábado, 25 Junho de 2016 as 2:20

Ray Comfort é evangelista e cientista criacionista, apresentador do programa de TV "O Caminho do Mestre". (Foto: christiandaily)
Ray Comfort é evangelista e cientista criacionista, apresentador do programa de TV "O Caminho do Mestre". (Foto: christiandaily)

Mesmo que falar sobre o inferno não seja algo "agradável", o evangelista Ray Comfort diz que os cristãos devem incluir a temática como parte de seus esforços de evangelismo entre os céticos.

"A acusação do cético é que usamos a ameaça do inferno para controlar os fracos de espírito. Isso pode ser verdade para algumas religiões que mantêm seu poder porque controlam as massas, mas quando o cético se ver no inferno ele vai saber que apenas o advertimos sobre aquele lugar porque o amamos", Comfort escreveu em uma mensagem de sua página do Facebook na última quinta-feira.

Ele perguntou: "Alguma vez choramos quando oramos pelos perdidos? Olhos secos e corações duros andam de mãos dadas. Como podemos professar o amor de Deus em nossos corações se não convocamos os não salvos a se arrependerem de seus pecados e se voltarem para o Salvador? E como podemos fazer isso com alguma paixão paixão, se não nos importamos?".

Comfort refletiu que, enquanto para muitos é agradável pensar sobre o Céu, falar sobre o inferno não é o que todos querem.

"Mas precisamos nos esforçar para pensar sobre isso. Sem esses pensamentos 'desagradáveis' nunca vamos alertar os perdidos com urgência sobre o juízo de Deus", enfatizou.

O evangelista nascido na Nova Zelândia tem falado sobre seus pensamentos a respeito da vida e da morte em várias ocasiões. Em janeiro compartilhou com seus seguidores que, se a eternidade consistisse em sentar-se em nuvens tocando harpas, ele não seria um cristão.

"Deus irá substituir esta criação amaldiçoada, nos dando um novo céu e uma nova terra. A vontade de Deus será feita na Terra como no Céu. Nós não só escapamos do inferno, mas, pela graça de Deus, temos um incrível futuro com Deus nos céus", ele escreveu na época.


Ousadia
Comfort tem concentrado uma grande parte do seu ministério em alcançar os céticos e outros não-crentes. Mais de 1.000 cristãos se prontificaram a ajudá-lo no início de junho, na evangelização de ateus que durante a conferência ateísta "Reason Rally", em Washington DC. Porém seus planos tiveram que ser cancelados, pois a polícia o advertiu que ele poderia ser preso se cumprisse esse esse ato.

O evangelista e escritor insistiu, no entanto, que mantém um bom relacionamento com os não-crentes.

"Para as autoridades, os cristãos e ateus são inimigos. Assim, eles querem nos manter separados pelo bem da paz, especialmente com ameaças mais graves enfrentadas na América. Isso é compreensível. Mas ao mesmo tempo eu estou um pouco frustrado, porque tenho um bom relacionamento com os ateus", ele escreveu antes do evento.

Mais tarde, ele revelou que ele teve conversas com o autor ateu Lawrence Krauss e Las Vegas e o apresentador Penn Jillette, após o evento em Washington (DC) e descreveu os homens como "simpáticos" e "educados", apesar de suas visões de mundo conflitantes.

"Eu os ouvi e o que compartilhei com eles foi o destaque do fim de semana para mim", Comfort escreveu.

veja também