Estudante dos EUA luta na justiça pelo direito de usar o termo "sob Deus" em juramento

Samantha Jones, uma veterana na "Highland Regional High School", na cidade de Blackwood, e sua família entraram com uma resposta oficial a uma ação judicial pela movida pela Associação Humanista Americana.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 24 Setembro de 2014 as 3:24

Estudante dos EUA luta na justiça pelo direito de usar o termo "sob Deus" em juramentoUma estudante do ensino médio, no Estado de Nova Jersey (EUA) e sua família entraram numa batalha judicial, em razão de um processo movido por um grupo ateu procurando remover "sob Deus" do Juramento de Fidelidade.

Samantha Jones, uma veterana na "Highland Regional High School", na cidade de Blackwood, e sua família entraram com uma resposta oficial a uma ação judicial pela movida pela Associação Humanista Americana.

"Se alguém quiser permanecer em silêncio, está no seu direito. Mas ninguém tem o direito de me calar", disse Jones em um comunicado.

"Quando eu me levanto, coloco minha mão sobre meu coração e faço o juramento de fidelidade, estou reconhecendo que os meus direitos vêm de Deus, não do governo".

Jones está sendo representada pelo Fundo Becket para a Liberdade Religiosa, uma organização que ofereceu defesa jurídica a casos semelhantes em processos anteriores.

Em abril deste ano, o braço legal da Associação Humanista Americana entrou com uma ação em Nova Jersey, em nome de uma família que se opôs ao à possibilidade de seu filho frequentar uma escola, onde foi feito um juramento o termo "sob Deus" incluído.

Arquivada no Tribunal Superior de Nova Jersey, a ação foi dirigida contra o Distrito Escolar Regional Matawan-Aberdeen e seu superintendente, David M. Healy.

"As escolas públicas não devem se envolver em um exercício que diz aos alunos que o patriotismo está ligada a uma crença em Deus", disse David niose, advogado Appignani Humanista Centro Jurídico da AHA.

Este não é o primeiro desafio legal em nível estadual com o qual a AHA foi recentemente envolvida, com o termo "sob Deus".

Em maio, a mais alta corte de Massachusetts decidiu contra uma ação judicial movida contra AHA a frase penhor, em uma decisão conhecida como Distrito Escolar Regional Doe v. Acton-Boxborough.

A Suprema Corte Judicial de Massachusetts concluiu que "a recitação do penhor, que é inteiramente voluntária, não viola nem a Constituição nem a lei [que proíbe a discriminação em Massachusetts escola pública]..."

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br

veja também